Como anda o nosso transporte urbano?

30 novembro, 2008

Deu ontem no jornal O dia On line: Idosa que caiu de ônibus tem morte cerebral

Como assim caiu do ônibus? É isso mesmo, a senhora estava tentando embarcar e caiu, teve morte cerebral. Não se sabe bem as circunstâncias do ocorrido, mas o motorista disse que não viu. Não é hora de fazer julgamentos de culpa, o problema é grave e com certeza atinge inumeras cidades, aqui em João Pessoa não é diferente, conheço inúmeros casos. No corre-corre dos centros urbanos esquecemos dos nossos idosos, nossos avôs e avós.

Este alerta vale principalmente para os motoristas e empresas de ônibus, com certeza deve ser estressante o trânsito tumultuado e as urgências dos passageiros, entretanto uma vida vale mais que isso e um cuidado a mais sempre vale a pena. A população do mundo inteiro está cada vez mais idosa e no Brasil isso não difere. Se comemoramos o aumento da expectativa de vida é preciso também se preparar para cuidar desta fatia cada vez maior de nossa população.

Está aí mais um problema para nosso transporte urbano, ainda debilitado e insuficiente para atender nossas necessidades. Isto também é um alerta para essa propaganda esdrúxula e apelativa que as empresas de transporte coletivo fazem contra os informais aqui em João Pessoa, não é assim que se trata um problema social tão grave.


Olhos do Norte

30 novembro, 2008

Está lá no página incial do WordPress: mais de 4 milhões de Blog’s ativos! (Vale ressaltar, apenas neste site) E neste momento nasce mais um, que entre esses milhares, na maioria anônimos-conectados, pretende se fazer “ouvir” ao tocar em questões que ressoam entre paraibanos, nordestinos e brasileiros. 

Apesar de todas as parcialidades que possam existir nos vários post’s que andarão por aqui, é pretensão deste blog abrir um espaço para refletir (reflexão e reflexo) estas questões. Nós merecemos espaços como estes que fujam deste grande circuito de mídia, quer queira ou não de raizes externas a nós, que nos ditam muitas coisas. Não se trata de desator nós, mas antes de fomentar outros, complementares e contrapositores.

Quem já percebeu jornalistas falarem: “ao vivo do Nordeste” enquanto que noutros momentos falam: “ao vivo de Brasília”. Este lá deixa tudo tão mais distante, e realmente é assim, por isso a afirmação deste blog.

Olhos do Norte, daqui debaixo mesmo do Equador, é isto. Um espaço para nós, para os Olhos do Norte!