Um ponto negativo na relação Paraíba – Pernambuco

Nesta terça dia 02 de dezembro foi registrada mais uma tentativa de assalto a mão armada em João Pessoa. Desta vez a polícia foi ágil, perseguiu e prendeu os bandidos logo após o assalto. No entanto um dado explicitou claramente algo que já está na boca de muitas pessoas da cidade: a metrópole de Recife está exportando seus bandidos para João Pesso. A notícia desta terça foi bem clara nisso, os dois homens armados estavam cumprindo prisão em regime-semi aberto em Igarassu – PE. Se começarmos a prestar atenção, a presença de criminosos da nossa vizinha cidade é constante. Isto é um alerta a polícia, se ela já não saiba. É preciso fomentar ações para acabar esta facilidade de atuação desses indivíduos em nosso estado e cidade.

João Pessoa e Recife são as capitais brasileiras mais próximas, 123 quilômetros e cerca de duas horas de viagem, tendo ônibus comercial de meia em meia hora. Vale lembrar que a duplicação já está 60% pronta. Essa exportação de bandidos não é um dado marginal, é uma séria questão para nossa polícia de inteligência e de repressão. Se não, vejamos: segundo dados do mapa da violência divulgado pela Rede de Informação Tecnológica Latino-Americana, Recife é a capital com maior número de homicídios do Brasil, estando em nono, se considerar as capitais e demais cidades. Para ressaltar a importância desta questão para nossas autoridades, as cidades da vizinhança do Recife não ficam para trás, entre as 50 com maior número de assassinatos, Pernambuco tem oito cidades, entre elas: Jaboatão, Cabo de Santo Agostinho, Itamaracá. 

João Pessoa é uma cidade pacata, um centro urbano de pequeno para médio porte que atrai turistas principalmente pela qualidade de vida que aqui encontram. Talvez os bandidos do nosso estado irmão começaram a perceber isso e sentem-se cada vez mais atraídos a praticar crimes em João Pessoa. Se a reação não for a altura e desde o início no futuro o problema será bem maior e mais difícil. Com estes criminosos vem não apenas os assaltos, mas as armas, drogas, medo e violência. Os dados podem assustar, mas os assaltos ainda são esporádicos, sendo apenas um alerta firme e duro, ainda. Não vivemos aqui ou em Recife uma situação como a do Rio de Janeiro, por exemplo, onde há grupos organizados e bem armados comandando o crime, mas vale lembra que tudo tem um início, como certas doenças, quanto antes se cuidar melhor.

É preciso estar atento e cobrar das autoridades independente do governo, e quem sabe até uma ação conjunta dos estados e cidades. Pernambuco e Paraíba de cultura, história e população tão ligadas não precisam de itens, negativos, que as aproximem.

Anúncios

3 Responses to Um ponto negativo na relação Paraíba – Pernambuco

  1. […] a ação da polícia paraibana no combate ao crime em João Pessoa e no Estado, como no post Um ponto negativo na relação Paraíba – Pernambuco, há também criminosos recifenses que vêm para o estado fazer assaltos. Isso revela que a […]

  2. […] Veja também: Polícia atenta prende traficante carioca na Paraíba. Um ponto negativo na relação Paraíba – Pernambuco […]

  3. […] OAB, PT e Governo manifestam-se sobre Manoel Bezerra da CPI do Extermínio O assassinato brutal do advogado e político do PT Manoel Bezerra de Mattos Neto é sintomático de um problema grave de violência que ocorre na divisa dos estados de Paraíba e Pernambuco. A cooperação entre as duas polícias e governo deve ser a regra, não apenas para este caso, mas para outros, que dastacados no blog bandidos de PE vem para a PB fazer crimes: Um ponto negativo na relação Paraíba – Pernambuco. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: