Paraíba é rota do tráfico em larga escala

A polícia Federal da Paraíba vem fazendo um bom trabalho no combate ao tráfico, mas parece que é popuco, haja visto o seu crescimento e o consumo assustador de drogas. Este tema já virou ladainha no Blog, vejam nossos outros posts. Estamos acompanhando esse processo e cremos que a polícia civil não está fazendo seu papel. Agora é cobrar ações concretas, não apenas apreenssões.

O mapa do tráfico em João Pessoa

Casal de jovens assaltam e matam por crack

Tráfico na Paraíba mostra sinais de agravamento

Escalada do crack: PF prende 75Kg e 39 mil reais com traficante na PB

Vejas as noticias que confirmam o crescimento desta forma horrível de crime:

PF apreende 26 Kg de cocaína em JP e aponta crescimento “assustador” do consumo

A Polícia Federal apreendeu 26 quilos de cocaína no bairro da Torre em João Pessoa. Para a PF, as apreensões sinalizam o ingresso da Paraíba na rota do tráfico em larga escala. Em menos de três meses, agentes interceptaram mais de cem quilos da droga – volume maior do que o registrado durante todo o ano de 2008.

– O crescimento do consumo é assustador, avaliou o assessor de comunicação da PF, Deusimar Guedes.

– A situação está piorando, acrescenta Guedes.

A nova apreensão aconteceu na tarde da segunda-feira 3, no bairro da Torre. Quatro pessoas foram presas e levadas para a superintendência da PF.

O quarteto tinha armas e vasta munição.

O material apreendido será apresentado dentro de instantes.

PF revela: 80% da droga que circula em JP é comandada por detentos do PB1

Droga apreendida pela PFA Polícia Federal fez nesta quarta-feira 4 uma revelação estarrecedora: cerca de 80 por cento da droga em circulação na Grande João Pessoa é comandada por presos do Presídio de Segurança Máxima PB1, em Mangabeira. Somente esse ano agentes da PF já apreenderam mais de 123 quilos de crack e cocaína.

Segundo o assessor de comunicação da PF, Deusimar Guedes, a droga apreendida nesta segunda-feira, 2 (26 quilos de cocaína) proveniente de Mato Grosso havia sido encomendada por um grupo de detentos do PB1 através de um ex-presidiário que se encontra em liberdade.

O detento contratado para receber a droga foi subornado por membros de outra facção de presos existente naquele presídio de segurança máxima.

O objetivo era receber a droga, matar o motorista da carreta, abandonar o corpo no Estado de Pernambuco e desviar o veículo e droga, dando a entender que a droga teria desaparecido e não iria chegar ao destino.

Rota da droga

Segundo Guedes a rota da droga até chegar a Paraíba nasce na Bolívia, entra no Brasil pela região Norte de onde é dissiminada para todo o País – incluindo a Paraíba, onde a PF atesta crescimento “assustador” de consumo.

A região mais visada pelos traficantes é a Grande João Pessoa.

Ultimamente a droga que mais cresce em comercialização é o crack – derivado da cocaína. O apelo do craque é o baixo preço. No entanto a maconha continua sendo a droga mais consumida pelos viciados.

Segundo estatística da PF somente em 2008 foram apreendidas 112 quilos da droga, mas apenas nos primeiros dois meses de 2009 já foi superada o volume de apreensão da droga, chegando a 123 quilos.

Identificação

A Polícia Federal jgarantiu hohe que á conseguiu identificar todos os detentos do Presídio de Segurança Máxima PB1 envolvidos com a dissiminação de drogas na Grande João Pessoa.

Os nomes estão sendo preservados para não atrapalhar investigações que os agentes da PF continuam realizando para descobrir pontos de venda de drogas.

2 respostas para Paraíba é rota do tráfico em larga escala

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: