Chuvas no Maranhão, tímida cobertura da mídia e Nordeste esquecido

Atualmente o clima tem causado inumeros problemas em várias regiões do País. Tanto o clima seco e quente, quando o frio e com chuvas. As tragédias causadas pelo clima não estão apenas no Nordeste, cada vez mais percebe-se a seca no Sul do País e chuvas fortes no Nordeste. O inverso também é verdadeiro.

Um dos últimos graves problemas causados pelas chuvas foi em Santa Catarina. Houve uma grande comoção na mídia e com forte repercussão na população. Muitos alimentos, remédios e roupas foram doados, inúmeras campanhas e reportagens foram feitas. Agora o Maranhão  (30% do estado debaixo de água) e partes do Nordeste vivem situação semelhante. Fortes chuvas ocorrem e a população está isolada. Muitas cidades sem alimentos, pois estradas foram tolhidas pelas chuvas e quando os alimentos chegam estão estragados. Os preços sobem como a água dos rios que invade casas e deixa milhares desabrigados.

Entretanto a grande mídia nacional diferente do caso de Santa Catarina, tem dado atenção pífia e meramente constatativa. Não há envolvimento. Não vi, nenhum reporter pegar um helicóptero e  ir para o Maranhão fazer reportagem. A cobertura é triste. Vinha sentindo esta diferença e um post que li hoje me fez escrever. Guilherme do blog da Comunicação diz isso:

Nos últimos dias estive acompanhando a tragédia das enchentes que afetaram alguns estados no norte e nordeste do Brasil, especialmente no interior do Maranhão. Cidades submersas, pessoas sem moradia e a mídia no sudeste fazendo uma cobertura tímida. Ao ver cenas de família pobres perderem tudo me lembrei imediatamente das chuvas que assolaram Santa Catarina ano passado, deixando mortes e desabrigados aos montes. As inundações causaram comoção nacional e todo mundo ajudou, inclusive eu que envie alguns alimentos para lá. Mas porque não há comoção quando as tragédias ocorrem no norte/nordeste do Brasil?

No Brasil é um peso e duas medidas. O que acontece no norte/nordeste não importa, quem é que vai se preocupar com eles? Porque ficaríamos chocados, eles são pobres mesmo não é. Suportam dificuldades diariamente e vão suportar mais uma. Fazer o que. Não vi um jornal em São Paulo, maior cidade do país e onde resido, dedicar uma cobertura especial das enchentes como em Santa Catarina. Quero ajudar as vítimas da enchente no Maranhão,como faço? Não sei, o jornal, o rádio e a TV não informam como fizeram daquela vez. Eu terei que cassar informações pela internet mesmo.

E o pior é que isso acontece na terra do Senhor Feudal do Brasil, como bem disse Danilo Gentili do CQC, o presidente do Senado José Sarney e da sua filha, Roseana Sarney recém-empossada governadora depois de virar a mesa e cassar o ex-mandatário Jackson Lago.

(…)

Mas o que me deixa mais puto da vida, quando vejo as pessoas dizerem que ficaram chocados com as cenas que viram em Santa Catarina. Já ouvi frases como “coitada daquela gente bonita, loira sofrendo”. Mas nunca ouvi o mesmo sobre os nordestinos ou nortistas. Não tenho nada contra Santa Catarina, estado belíssimo e que já visitei onde tenho amigos. Eu sei que não tem só loiros lá que sofreram com as fortes chuvas, mas minha crítica é para a sociedade que vê e define tudo pelas aparências. Parafraseando o presidente Lula, comoção só há quando quem sofre são os brancos de olhos azuis.

Este é um caso que deveria ser melhor tratado. Este blog inclusive nasce nesta divergência de olhares regionais. Creio que isso seja relevante. Em nosso post original afirmamos:

Quem já percebeu jornalistas falarem: “ao vivo lá do Nordeste” enquanto que noutros momentos falam: “ao vivo de Brasília”. Este lá deixa tudo tão mais distante, e realmente é assim, por isso a afirmação deste blog.

Olhos do Norte, daqui debaixo mesmo do Equador, é isto. Um espaço para nós, para os Olhos do Norte!

Gostaria de acrescentar que isso não ocorre apenas em relação a tema tão relevante quando este das chuvas e enchentes. Mas em temas corriqueiros. Quem acompanha esporte sabe como as vitórias e conquistas do Sport Recife são desprezadas ou destratadas pela mídia do Sul. Isso mesmo, mídia do sul. Quem faz o que chamamos de mídia brasileira é a mídia do sul, com seu olhar.  O Sport fez a melhor campanha do seu grupo na Libertadores.  O clube é um, pode-se dizer iniciante na taça, e surpreendeu e ninguém fez aquela festa que se costuma fazer, por exemplo, para o Corinthians, Ronaldinho etc.

Outro dia peguei o Estadão publicando comentários preconceituosos contra os nordestinos.  Fazem deduções sem o menor fundamento tentando atribuir a nós problemas que não tem como causa questões regionais ou de raça/etnia… enfim.

É isso… e depois não querem dar espaço para programação local nas grandes mídias e redes. Um amigo fala que o Brasil é dividido em dois, o do norte e aquele do Sul. Sei que há inúmeros questionamentos sobre isso, mas algumas vezes as diferenças de atitudes são gritantes. Ainda escreverei um post sobre a Confederação do Equador  e como o País poderia ficar se os estados tivessem aderido a este grito de aprofundamento (isso mesmo) da Independência do Brasil realizada por Dom Pedro I, algo que os intelectuais do Rio não fizeram, eles ainda taxaram esta confederação de separatista, como se eles tivessem o direito de afirmar quem lutava ou não lutava pelo Brasil.

 

—-

Saiba como ajudar os desabrigados do Maranhão

Defesa Civil.

Campanha para ajudar. (Reportagem boa, MAS NÂO DIZ O NÙMERO DA CONTA! Pode?)

Site da OAB-MA

Veja mais Links 

A Globo também resolveu se mexer.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: