Capão Redondo: falta compromisso social. Anistia Internacional faz campanha

Este é apenas mais um capítulo do Governo e Prefeitura de São Paulo no trato com os mais necessitados, e põe necessitados nisso. Sempre com choque, sem sensibilidade, com ingerencia e indisponível para pensar alternativas que tenha compromisso com um público que realmente necessita. Esse não é algo isolado.

Devido às viagens, deixei de ler os jornais. Só agora localizei essa matéria da Laura Capriglione, sobre as famílias desalojadas pela PM em Capão Redondo.

É uma matéria significativa e um episódio que coloca à prova as políticas sociais do estado e do município de São Paulo.

As famílias foram desalojadas de um terreno ocupado, de propriedade de uma companhia de viação. A companhia deve muito imposto. Tivessem cabeça menos burocrática, foco no social, ou pelo menos no drama de 370 famílias, o governo do estado e a prefeitura articulariam um acordo com a companhia (conforme sugerido por um comentarista na época), acertariam um projeto rápido no “Minha Casa, Meu Sonho”, ou na Cohab, colocariam a rede assistencial para abrigar os desassistidos até o problema ser resolvido.

Se não por sensibilidade, até por esperteza mobilizariam todas as forças possíveis para mostrar-se solidário aos desassistidos. Mas não adianta.

Certa vez, na campanha eleitoral de 2006, viajei com o candidato Geraldo Alckmin. Embora não seja um modelo de eficiência, soltou uma frase a respeito das diferenças entre ele e Covas e a chamada área intelectualizada do PSDB – FHC-Serra. “Covas me dizia sempre: toda semana, saia à rua, visite as regiões pobres, não perca a sensibilidade de povo”. O social de alguns políticos se encerra na Sala São Paulo.

Por Maurício Caleiro

A Anistia Internacional move, neste momento, campanha urgente de protesto contra a situação das famílias expulsas do assentamento no Capão Redondo e contra os métodos empregados pelas forças policiais paulistas.

É o modelo de gestão tucano-paulista fazendo sucesso internacional.

Se quiser saber mais, acesse aqui.

Veja matéria sobre algumas famílias que foram retiradas. Todo esse post é baseado no blog de Luis Nassif. Vejam a reportagem aqui.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: