Graves problemas de segurança na Paraíba!!!

26 janeiro, 2010

Após a apresentação forma da existência de grupos de extermínio pelo Secretário de Segurança do Estado, confirmando denúncias e apurações antes realizadas por parlamentares como Luiz Couto e Frei Anastácio, o que estamos vendo é uma ação de ataque a soldados da polícia paraibana. Coincidência ou não em pouco tempo começam a aparecer casos de policiais que s]ao alvo de tiros. Primeiro foi em Camboinha, agora, algo muito grave, gravíssimo ocorreu. Veja notícia abaixo.

O povo da Paraíba não pode ficar refém de um conjunto de bandos armados que fazem suas próprias leis e impedem as pessoas de viveram com um mínimo de segurança capaz de lhe dar conforto para ir e vir, para trabalhar, divergir e exercer sua cidadania. Não estamos falando de assaltos e roubos avulsos, estamos falando de grupos pequenos e grandes, vários, que estão espalhados pelo estado cometendo crimes por encomenda a mando de traficantes, desafetos e agora buscam atingir a própria polícia.

Esse episódio que ocorreu nos Funcionários II é gravíssimo, não pode ser nota de roda pé de jornal. Se a própria polícia começa a ser o alvo, e se partes da própria também está envolvida nesses grupos, quem garantirá a segurança da sociedade.

Este tema é de suma relevância, é mais importante que ficar discutindo picuinhas políticas como faz diariamente nossa mídia, jornalistas e comentaristas. Estes não conseguem nem reconhecer a gravidade do ocorrido.

Que o Estado se manifeste.

Policial Militar é ferido gravemente após ser perseguido por bandidos no bairro dos Funcionários

O policial militar João Virgínio dos Santos, 27 anos, foi ferido na noite desta segunda-feira, dia 25, com dois tiros após ser perseguido no bairro dos Funcionários II, em João Pessoa. Ele está em estado grave no hospital de Emergência e Trauma.

João Virgínio dos Santos estava numa motocicleta quando percebeu que estava sendo seguido por dois homens em outra moto. Ele tentou fugir correndo após abandonar a moto. Contudo, o homem que estava na guarupa desceu e iniciou uma troca de tiros com o policial.

Na tentativa de fuga, João Virgínio dos Santos acabou alcançado pelos criminosos e atingido por dois tiros.

Durante o tiroteio, um disparo atingou Alex Arantes da Silva, 30 anos, que passava pelo local. Ele foi socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma e já recebeu alta.

Anúncios

EUA, França e Brasil disputam hegemonia no Haiti

19 janeiro, 2010

Reportagem relevante que mostrar como anda as disputas políticas em relação ao Haiti. Cada um desses países tem uma ascendência em relação ao Haiti, historicamente falando. Os EUA estão atropelando tudo e todos para se colocar como líder no país. Entretanto a liderança da missão da ONU está com o Brasil, isso no mínimo deveria ser respeitado.

Apesar da disputa o mais importante é que a ajuda esteja chegando.

Enquanto os haitianos lutam por sobrevivência após o devastador terremoto da semana passada, os Estados Unidos, a França e o Brasil estão “brigando pela predominância” no país, diz um artigo publicado no site da revista alemã Der Spiegel.

O artigo, assinado pelo correspondente da revista em Londres, Carsten Volkery, diz que o governo haitiano acompanha esse desenrolar “desfalecido”.

Como exemplo da disputa pela predominância no país, a revista cita a decisão do presidente haitiano, René Préval, de passar o controle do aeroporto de Porto Príncipe para os americanos, que causou uma “chiadeira internacional” e que levou o ministro das Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner, a dizer que os EUA praticamete “anexaram” o aeroporto.

França e Brasil protestaram formalmente em Washington, “porque aviões americanos receberam prioridade para pousar em Porto Príncipe enquanto aviões de organizações de ajuda eram desviados para a República Dominicana”, segundo a revista.

Spiegel diz que o Brasil, que lidera as forças da missão de paz no Haiti, “não pensa em abrir mão do controle sobre a ilha” e que, se depender da vontade do governo Lula, o projeto de reconstrução do Haiti “deve permanecer um projeto latino-americano”.

A disputa diplomática em andamento “lembra ao passado político da ilha”, diz a revista, “quando constantemente os oito milhões de haitianos se tornavam em um joguete de interesses internacionais”.

Colônia

Por causa da situação precária no país e da fragilidade do governo, vários analistas ouvidos pelo artigo preveem que o país mais pobre das Américas pode voltar a se tornar uma “espécie de colônia”.

“Desde 2004, a ilha é um protetorado da ONU”, diz a revista, lembrando que as tropas de paz zelam pela ordem e segurança no país, treinam a polícia local e até organizam as eleições.

Henry Carey, especialista em Haiti da Georgia State University, diz no artigo que o mandato da ONU deverá ser estendido e que o país voltará a ser uma colônia, “dessa vez da ONU”.

Para o analista, isso seria “positivo”, se for mantida a recente tendência de estabilização econômica e política verificada no país.

Não deixe de ler: Por que o Haiti é tão pobre? A História responde


Saiba como ajudar o Haiti

15 janeiro, 2010

Foi uma tragédia sem tamanhos. Um daqueles momentos sem explicações humanas. Mas é hora de mobilização para que ajudemos aquele País que simplesmente não tem nada que posso contornar tal situação e não ser força, vontade e o apoio do mundo. Para orientar quem deseja ajudar aqui vai algumas informações:

Grupos humanitários que atuam no Haiti pediram às empresas que doem dinheiro para ajudar as vítimas do terremoto, em vez de itens como roupas e tendas, que não podem ser distribuídas ainda devido à extensão da devastação.  As entidades tentam atender às necessidades mais urgentes, como água e remédios, e manter o espaço aéreo haitiano liberado para receber esses produtos.

Como ajudar?

Os interessados em ajudar as vítimas do terremoto no Haiti podem fazer um depósito nas contas da ONG Viva Rio e também do Comitê Internacional da Cruz Vermelha. As doações para a Organização das Nações Unidas (ONU) devem ser feitas para a ONG Viva Rio.

ONG Viva Rio:
Banco do Brasil
Agência 1769-8
Conta 5113-6

Cruz Vermelha
Banco HSB
Agência 1276
Conta 14526 – 84
Aos interessados em fazer depósito online, o CNPJ do Comitê Internacional da Cruz Vermelha é 04.359688/0001-51.

Onde obter informações

Informações sobre brasileiros no Haiti
O Ministério das Relações Exteriores instalou uma sala de crise sobre o Haiti. O gabinete ficará 24 horas em funcionamento. Informações podem ser obtidas junto ao Núcleo de Assistência a Brasileiros, nos seguintes telefones:

(0xx61) 3411.8803
(0xx61) 3411.8805
(0xx61) 3411.8808
(0xx61) 3411. 8817
(0xx61) 3411.9718
(0xx61) 8197.2284.

Busca por familiares
O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) criou um site especial para ajudar milhares de pessoas no Haiti e no exterior a encontrar a familiares desaparecidos no devastador terremoto que assolou o país mais pobre das Américas na terça-feira.

O endereço do site é: www.icrc.org/familylinks


A farra das verbas indenizatórias no Sanado

14 janeiro, 2010

Um levantamento publicado nesta quinta-feira (14) pelo portal Congresso em Foco mostra que a bancada paraibana no Senado Federal gastou em 2009 a quantia de R$ 401.152,96 apenas em verba indenizatória, que é o valor pago pela Casa para reembolsar os parlamentares por gastos em aluguel, locomoção, material, consultorias e divulgação. O campeão de gastos no país foi o senador alagoano Fernando Collor de Melo (PTB), que gastou R$ 180.468,08, enquanto que na Paraíba os maiores gastos ficaram por conta do senador Efraim Morais (DEM), que gastou R$ 179.998,67.

Clique aqui e veja o gasto discriminado de cada senador

De acordo com as normas do Senado Federal, cada parlamentar pode requerer até R$ 180 mil de verba indenizatória, um dinheiro recebido além do salário para pagar gastos extras da atividade parlamentar. Collor, portanto, foi o único dos 81 parlamentares a ultrapassar esta marca, enquanto que Efraim ficou a apenas R$ 1,33 do limite.

No lado oposto da tabela, dois senadores não requereram nenhum dinheiro extra do Senado Federal. Foram o gaúcho Pedro Simon (PMDB) e o pernambucano Marco Maciel, que não gastaram nem um único real em verba indenizatória.

Entre os demais paraibanos, o segundo que mais gastou foi o senador Cícero Lucena (PSDB), que requereu R$ 160.668,19 de verba extra. O hoje governador José Maranhão (PMDB) gastou R$ 14,383,20 em verba indenizatória, mas este valor é referente a apenas o mês de janeiro (já que em fevereiro ele foi empossado governador).

Se o peemedebista mantivesse esta promoção, portanto, ele estaria posicionado em segundo lugar, com um gasto anual de aproximadamente R$ 170 mil. Em pouco mais de 10 meses, o senador  Roberto Cavalcanti (PRB) requereu R$ 23,3 mil em verba indenizatória.

No total, um parlamentar ultrapassou o limite permitido, três atingiram exatamente o limite e outros quatro ficaram a menos de mil reais do limite (entre eles Efraim Morais). Os 81 senadores brasileiros gastaram no total R$ R$ 10.749.847,05 em verba indenizatória.

São informações para que possamos pensar e refletir para quem irá o nosso voto.


Tremores de Terra atingem a Paraíba – Passa a ser área de risco

11 janeiro, 2010

PB passa a ser área de risco de terremotos

A Paraíba poderá sofrer, novamente, as conseqüências de abalos sísmicos, cujos epicentros concentram-se na cidade de Taipu, no Rio Grande do Norte e agora é considerada integrante do roteiro oficial do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília como área de risco de terremotos.

Este ano já foram registrados dois tremores com epicentro no mesmo local com intensidades de 3.1 e 3.8 na escala de magnitude regional, que mede a intensidade de terremotos e é uma adaptação da escala Richter.

No entanto, especialistas afirmam que tremores com intensidade acima de 6, na mesma escala, é que podem causar destruição e alertam que a hipótese é remota de ocorrer um terremoto de tamanha intensidade no Brasil.

Do blog do Junior Miranda.

Desde sábado, dia 9 de janeiro, após tremores de terra na cidade potiguar de João Câmara, a população das regiões do Brejo e Curimataú paraibanos vem sentindo pequenos abalos sísmicos. Moradores de municípios como Araruna, Guarabira, Caiçara, Lagoa de Dentro, Belém, entre outros, sentiram a terratremer por volta da 13:00hs desta segunda-feira (11).

A cidade de João Câmara, no Rio Grande do Norte, é conhecida pelos frequentes abalos sísmicos, muitos deles sentidos na Paraíba devido a proximidade, estando essa região sujeita a terremotos, ou sismicamente ativa, por estar próxima de uma falha geológica.

No município de Belém, no estado da Paraíba, no final da década de 1980, por exemplo, após um forte terremoto em João Câmara, foi sentido tremores de terras que causaram até rachaduras em paredes de residências locais. Nesta segunda-feira novamente foram sentidos tremores de terra em comunidades rurais, como o sítio Açude Grande, e em lugares altos da cidade, como na rodoviária municipal. Já na região várias pessoas de diversas cidades ligaram para as emissoras de rádio relatando o ocorrido.

Notícia do Correio dá conta que ocorreu abalos em João Pessoa:

Um tremor de terra foi sentido em vários bairros de João Pessoa e nos municípios de Araruna, no Brejo paraibano, e em Campina Grande, por volta da 13h desta segunda-feira (11).

De acordo com algumas pessoas que sentiram o tremor e entraram em contato por telefone com o Portal Correio, os abalos balançaram móveis e deixaram moradores dessas localidades em estado de alerta.

“Pensei que fosse o meu prédio que estava prestes a desabar”, contou a estudante Camila Seixas, que mora no bairro de Mandacaru, na Capital. Ela disse que se assustou e ligou para familiares imediatamente.

A mesma preocupação sentiu a dona de casa Lúcia Neves, no município de Araruna. Ela disse que os móveis tremeram e objetos chegaram a cair. “Minha geladeira tombou com a trepidação. Ficamos muito assustados”, relatou.

O tremor foi sentido, em João Pessoa ainda em Tambauzinho, Jardim Luna e em Tambaú, na Orla, além de Mangabeira, onde o internauta Alonso Freire afirma que o sofás da sua casa e alguns objetos tremeram.

O Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UNB) informou que as trepidações sentidas no Estado são decorrentes de uma tremor ocorrido nas proximidades de Natal, no Rio Grande do Norte, por volta do 12h45 (horário de Brasília) desta segunda-feira (11) .

De acordo com o relatório divulgado no Site do Observatório o abalo sísmico atingiu 4.3 na escala Richter ( que vai até 9) e teve epicentro no município de João Câmara a cerca de 52 quilômetros da Capital Potiguar.

Outro abalo sísmico foi registrado no sábado (9) no Rio Grande do Norte pelo Observatório Sísmico da UFRN, com intensidade que chegou a quase 3 graus na escala Richter e teve epicentro no município de Taipu (RN).

O tremor foi sentido em João Câmara, Poço Branco, Taipu, Ceará-Mirim (RN) e em alguns bairros de Natal.


As idas e vindas da política – O jogo de Ricardo Coutinho

10 janeiro, 2010

Não há como negar que Maranhão e Cássio vêm do mesmo berço e praticam a mesma política de aproveitamento político-pessoal da máquina estatal e políticas públicas superficiais para aparecer na mídia, sem atacar os problemas sociais de forma concreta.

Entretanto em um momento do passado eles racharam, pois afinal a vaga de governador era apenas uma e os dois queriam a cadeira e não flexibilizaram suas posições. Foi assim que surgiu o famoso episódio do campestre em Campina, onde os Cunha Lima se separam dos iniciantes Maranhistas e o PMDB, berço de todos, se divide. Maranhão não queria abandonar esta oportunidade (ser governador em 1998), pois ali ele se firmaria na política e não seria um apêndice dos Cunha Lima.

A esquerda na Paraíba não era ninguém, no perdão da palavra. Estava com seus 10 a 15% do eleitorado e não conseguia vencer os situacionistas. Mesmo quando estes se dividiram em 2002 entre Cássio (PSDB) e Maranhão (PMDB). A divisão só serviu para dividir a Paraíba e criar uma rivalidade como nunca vista, não para aumentar a capacidade política da esquerda.

Em algum momento, nas eleições de 2002 a política paraibana saiu de seu isolamento e teve que se adequar a uma mudança a nível nacional que atingia todo o Brasil. Lula surgir como força política, vindo da esquerda, mas com uma atuação flexibilizada de alianças. Nesse momento as forças da Paraíba tiveram que se posicionar diante do quadro nacional. Apoiar ou não apoiar Lula? Todos de algum modo apoiaram, mas alguns tiveram prejuízos por suas opções passadas. Veja o caso de Cássio.

Cássio em 2000 se aliou com o PT de Campina e se elegeu prefeito, Cozete do PT ficou como vice. Mas essa aproximação de Cássio ficou limitada devido a sua opção de sair do PMDB e ir para o PSDB. Com Lula no poder, a partir de 2003, foi se construindo um antagonismo entre PSDB e PT que terminou por acabar com qualquer opção de aproximação entre Cássio e a esquerda, representada pelo PT e outros. Para completar Cássio destrói politicamente Cozete. De outro lado, a esquerda liderada pelo PT se aproxima do PMDB, primeiro na Paraíba e depois a nível Nacional. Aqui uma nova história foi se construindo e identificações foram surgindo.

Nesse momento, o PMDB de Sarney e de Maranhão é da base de apoio a Lula e visto como sendo da esquerda ou centro-esquerda. Cássio é o oponente, e representa na Paraíba o PSDB, oponente nacional do PT e das esquerdas que fazem um governo a nível federal de sucesso.

Entretanto há que se dizer, o que houve nesse contexto foi a flexibilização das esquerdas em vista a um projeto de poder e não uma guinada de partidos como PMDB em direção a esquerda. Foi seguindo tal idéia que PT se alia a PL, PMDB, PP e outros. Na Paraíba, Ricardo, expoente maior da esquerda leva esta para uma aliança com o PMDB. O PT resiste inicialmente, mas cede e também se junta nesta aliança.

Mais uma vez, em 2009 surge um episódio como o do Campestre em Campina. Há apenas uma vaga e dois fortes candidatos de uma aliança deseja ocupá-la. Ricardo e Maranhão travam uma batalha velada. E a aliança se desmancha. Ricardo e Maranhão viram oponentes e a Paraíba teoricamente teria uma terceira via. Pois junto com esses dois há o candidato de Cássio. Entretanto numa jogada de alto risco Ricardo, representante da esquerda, que serviu de ponte para fortalecer a união das esquerdas com o PMDB, se junta com Cássio, Efraim, PSDB e DEM.

Veja bem, Ricardo deseja apagar sete anos de história, 2003-2009 e retomar um momento no qual a esquerda começava sua política de flexibilização de alianças. Deseja retomar uma aproximação de 10 anos atrás na qual Cássio tentou se relacionar com a esquerda e o PT. Aí está o problema de Ricardo, quer desconstruir uma identidade que foi se formando entre esquerdas e PMDB-Maranhão na Paraíba. Uma identidade construída na incoerência e entre diferentes. Quer retomar um caminho passado que não deu certo. Pior do que isso, o problema de Ricardo é não ter construído uma terceira via esquerdista junto com o PT, PCdoB e outros trabalhistas. Esse pecado é mortal, e a responsabilidade não é só dele, mas do PT também, do Luciano e do Rodrigo.

Essa política de flexibilização vive seu momento decisivo. Ricardo, não se torna pior que Maranhão ou Cássio, simplesmente se iguala a estes em termos de alianças políticas. Maranhão não pode criticá-lo porque é o mesmo que criticar a si mesmo, não pode criticá-lo porque fazer isso é querer se apropriar de uma vestimenta de esquerda, o que não é e nem foi sua. Apenas apoiar Lula não lhe garante tal vestimenta. Afinal, ele fala com orgulho para os quatro cantos que recebeu apoio de prefeitos do DEM e do PSDB de Cássio!

Ricardo é incoerente para a esquerda, assim como foi quando se uniu com o PMDB, assim como Lula com suas alianças. Agora, Ricardo não é incoerente com Maranhão nem com Cássio, porque é esta a política deles. Avenzoar tem a legitimidade e liberdade de criticar Ricardo nesse ponto, Maranhão, só tem a liberdade, não tem legitimidade nenhuma.


Verão em João Pessoa – Estação Nordeste 2010

9 janeiro, 2010

Confiram:

JANEIRO 2010
Estação Nordeste – Praia de Tambaú (Sábados)
02/01 – Jorge Benjor / Exodus Reggae Band
09/01 – Zé Ramalho / Paulo Vinícius
16/01 – Mutantes / Cabruêra
23/01 – Daniela Mercury / mestre Fuba
30/01 – Gilberto Gil / Escurinho

Estação Nordeste – Ponto de Cem Réis (sextas-feiras)
08/01 – Paulinho Moska / Eleonora Falcone
15/01 – Pinduca / Zabé da Loca / Cortejo de Tribos Indígenas
22/01 – Pitty / Bárbara
29/01 – Ray Lema / Adeildo Vieira / Caiana dos crioulos