Graves problemas de segurança na Paraíba!!!

26 janeiro, 2010

Após a apresentação forma da existência de grupos de extermínio pelo Secretário de Segurança do Estado, confirmando denúncias e apurações antes realizadas por parlamentares como Luiz Couto e Frei Anastácio, o que estamos vendo é uma ação de ataque a soldados da polícia paraibana. Coincidência ou não em pouco tempo começam a aparecer casos de policiais que s]ao alvo de tiros. Primeiro foi em Camboinha, agora, algo muito grave, gravíssimo ocorreu. Veja notícia abaixo.

O povo da Paraíba não pode ficar refém de um conjunto de bandos armados que fazem suas próprias leis e impedem as pessoas de viveram com um mínimo de segurança capaz de lhe dar conforto para ir e vir, para trabalhar, divergir e exercer sua cidadania. Não estamos falando de assaltos e roubos avulsos, estamos falando de grupos pequenos e grandes, vários, que estão espalhados pelo estado cometendo crimes por encomenda a mando de traficantes, desafetos e agora buscam atingir a própria polícia.

Esse episódio que ocorreu nos Funcionários II é gravíssimo, não pode ser nota de roda pé de jornal. Se a própria polícia começa a ser o alvo, e se partes da própria também está envolvida nesses grupos, quem garantirá a segurança da sociedade.

Este tema é de suma relevância, é mais importante que ficar discutindo picuinhas políticas como faz diariamente nossa mídia, jornalistas e comentaristas. Estes não conseguem nem reconhecer a gravidade do ocorrido.

Que o Estado se manifeste.

Policial Militar é ferido gravemente após ser perseguido por bandidos no bairro dos Funcionários

O policial militar João Virgínio dos Santos, 27 anos, foi ferido na noite desta segunda-feira, dia 25, com dois tiros após ser perseguido no bairro dos Funcionários II, em João Pessoa. Ele está em estado grave no hospital de Emergência e Trauma.

João Virgínio dos Santos estava numa motocicleta quando percebeu que estava sendo seguido por dois homens em outra moto. Ele tentou fugir correndo após abandonar a moto. Contudo, o homem que estava na guarupa desceu e iniciou uma troca de tiros com o policial.

Na tentativa de fuga, João Virgínio dos Santos acabou alcançado pelos criminosos e atingido por dois tiros.

Durante o tiroteio, um disparo atingou Alex Arantes da Silva, 30 anos, que passava pelo local. Ele foi socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma e já recebeu alta.

Anúncios

Torcidas do Botafogo?

25 novembro, 2009

Vejam essas duas reportagem e tentem entender o que está ocorrendo com as torcidas do botafogo. Muitas informação, pouco entendimento:

O presidente da torcida organizada do Botafogo, Força Independente Anjinhos do Belo, Rodrigo Pereira, procurou o Paraíba1 nesta sexta-feira (20) para pedir ajuda. Ele teme ser atacado e até morto por integrantes de torcidas rivais no próximo domingo (22), quando acontece a final da Copa Paraíba.

Segundo ele, o Ministério Público começou a acompanhar os casos de violência nas torcidas da Paraíba e ficou de convocar uma nova reunião com a presença do Comando da Polícia Militar. Porém, este encontro nunca aconteceu. Rodrigo disse que foi várias vezes ameaçado e que, inclusive, já foi agredido antes.

Rodrigo explicou que espera o encontro com a Polícia para sugerir que o estádio passe a abrir as portas para as diversas torcidas em horários específicos para, assim, evitar os confrontos na chegada ao campo. “Temos que ir em grupo. Se formos sozinhos ao campo, corremos o risco de sermos encurralados e espancados”.

“Eu represento uma torcida e não posso deixar de ir ao campo, mas temo por minha vida”, disse revelando que um dos líderes de torcida é policial militar e anda armado sempre, “inclusive quando não está de serviço”. O policial a que se refere é o cabo França, conhecido como Leão. De acordo com Rodrigo, há até fotos na Internet em que o policial aparece com uma bandeira roubada dele sendo rasgada.

O presidente disse que as ameaças que sofre por liderar a torcida Fiab se tornaram mais graves quando, há quinze dias, teve a loja onde trabalha atingida por disparos de revolver. “A loja estava fechada na hora, mas o rapaz que dorme lá para cuidar do local teve que se jogar no chão para escapar dos tiros.

Ele pediu que ficasse registrado que se algo acontecer a ele nos próximos dias, os prováveis culpados serão o cabo França, da torcida Jovem do Botafogo, ou o dirigente Léo, da torcida Fúria Independente do Botafogo. O curioso é que a violência acontece entre torcedores do mesmo time.

O dirigente de torcida e policial militar citado na matéria, também conhecido como professor Leão, foi contactado pela reportagem por telefone, mas se negou a falar sobre o assunto.

——————–

O acusado de ter assassinado a tiros dois homens no Busto de Tamandaré, na orla de Tambaú, em João Pessoa, na noite do último domingo (22), já pode estar fora da capital. É o que acredita o delegado Francisco de Assis da Delegacia de Roubos e Furtos, na Central de Polícia, no Centro da Capital, designado em caráter especial pelo Delegado Geral da Polícia Civil Canrobert Rodrigues para investigar o caso.

Em entrevista ao Portal Correio, Francisco Assis disse que o jovem acusado de ter disparado contra cinco pessoas e matando duas é o estudante do curso de Direito do Unipê onde faz o segundo período Eduardo Raniere (idade não revelada), também conhecido como Gordo DD.

Ainda, segundo o delegado, o pai do estudante foi levado à sede da SES, em Mangabeira, na Capital, acreditando que o seu filho estaria com problemas atribuídos a motocicleta.

Francisco de Assis contou que Eduardo Raniere já tem passagem pela Polícia. Ele, quando menor, chegou a ficar detido no Centro Educacional do Adolescentes (CEA). O motivo da detenção não foi informado.

O estudante mora no bairro de Jaguaribe e é membro da torcida Força Independente Anjinhos do Belo (Fiab) que seria uma dissidência da Torcida Jovem do Botafogo. Já uma das vítimas, Jonathan, seria integrante da torcida Fúria.

Na opinião de Francisco de Assis, as torcidas, na verdade, são verdadeiras fachadas de gangs que vêm atuando em João Pessoa.

As vítimas
As vítimas atingidas durante o tiroteio são o zelador Jonathan Santos Monteiro, 19 anos (membro da torcida Fúria), e o ambulante João Sebastião dos Santos, 40. O primeiro foi atingido por três tiros no tórax e morreu no local. O segundo foi atingido por um tiro nas costas, chegou a ser socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma da Capital, mas não resistiu ao ferimento.

As outras três vítimas atingidas pelos vários disparos são o estudante André de Queiroz Ferreira, 19, que saiu ferido com tiros nas pernas; Thiago José Santos da Silva, 23, e mais um jovem de 17 anos. Todos foram socorridos para o Trauma e já receberam alta.

Os tiros foram dados durante um evento de motocicletas e acessórios para motociclistas que ocorria no Busto de Tamandaré. De acordo com o delegado, o estudante teria tido uma discussão e chegado a trocar socos com uma das vítimas, Jonathan, horas antes dos disparos. O motivo da briga teria relação com as torcidas as quais Eduardo e Jonathan pertenceriam.

Ainda, segundo o delegado, depois da briga, Jonathan teria dito ao estudante que voltasse para apanhar mais e o estudante teria afirmado que voltaria. O que acabou se confirmando. Segundo testemunhas, o estudante teria chegado ao local em uma motocicleta e se aproximado do zelador já com uma arma em punho fazendo vários disparos não apenas contra Jonathan, mas também contra outras pessoas que estavam próximas.


Olho por olho, dente por dente? Caso misterioso em João Pessoa

13 setembro, 2009

Caso misterioso em João Pessoa. O vendedor de automóveis Laerte de Oliveira dos Santos Filho foi morto a tiros por quatro homens. Tudo indica que foi morte por encomenda. Mas diferente do que vinha acontecendo na cidade, não houve participação do assassino da moto preta.

A polícia trabalha com algumas suspeitas. A mais forte indica um possível envolvimento entre Laerte e o ex-prefeito e atual vereador de Caaporã, Manoel Antônio dos Santos, de 67 anos, que foi preso na noite da sexta-feira em João Pessoa acusado de receptação e porte ilegal de arma.

Informações preliminares dão conta de que o carro que o ex-prefeito usava quando foi preso teria sido passado a ele por Laerte. A Polícia ainda investiga outras ligações entre os dois.

Entenda a prisão do vereador:

O ex-prefeito e atual vereador de Caaporã, Manoel Antônio dos Santos (67 anos), foi preso na noite desta sexta-feira (11) em João Pessoa acusado de receptação e porte ilegal de arma.

Ele estava em um Uno preto, em frente ao campus da Universidade Federal da Paraíba, quando foi abordado por policiais, que investigam agora a procedência do carro em que ele estava.

No momento da prisão ele estava com um revólver, o que é proibido por lei e desrespeita a legislação vigente sobre o porte de armas.

Manoel do Fumo, como é conhecido o parlamentar, foi enviado à Central de Polícia e permanece sob custódia policial. Ele está em uma cela especial, mas ainda não se sabe para onde ele será enviado.

Esse tipo de criminalidade é assustador e relembra tempos passados que parece que não foram. Você não sabe mais com que tipo de pessoa esta interagindo seja numa fila, no trânsito, na rua ou em qualquer lugar. O pior são as pessoas que vivem de matar os outros. As investigações devem ser feitas, mas já temos um desafio para a Polícia da Paraíba, que ainda deixa muito a desejar, e uma marca negativa para o Estado.


Caso Manoel de Mattos: quarto envolvido é preso

13 fevereiro, 2009

O quarto envolvido no assassinato do advogado Manoel Mattos, em 24 de janeiro em Pitimbu, foi preso por volta das 15h desta sexta-feira (13) no município de Itambé (PE). O irmão do dono da arma, Cláudio Roberto Borges, conhecido por Claudinho, é acusado de ter envolvimento direto com o crime.

De acordo com o delegado que está à frente do caso, Walter Brandão, Claudinho já respondeu por duas ações penais e havia sido acusado pelo próprio advogado e é insistentemente apontado por José Parafina, que foi preso no último dia 6, acusado de ser um dos executores.

Ainda segundo o delegado,  a prisão preventiva do acusado foi expedida pela Juíza de Caaporã, Daniere Ferreira.  O quarto acusado pelo crime que envolve denúncia de grupos de extermínio foi encaminhado para a Central de Polícia, onde prestará depoimento.


Caso Manoel Bezerra: Arma e suspeitos são apreendidos

28 janeiro, 2009

bezerra

Veja informações coletados no portal correio e paraíba 1:

O coronel Kelson Chaves, comandante geral da Polícia Militar da Paraíba, disse nesta quarta-feira (28 ) que a arma encontrada com um dos acusados detidos ontem foi a que matou o advogado Manoel Mattos, segundo perícia realizada na espingarda calibre 12. A declaração do coronel foi concedida à TV Cabo Branco, de João Pessoa.

Além do sargento reformado da Polícia Militar Inácio Flávio Pereira, também foi preso na noite de ontem um homem identificado como José Nilson Borges, funcionário de um mercadinho próximo ao local de onde ocorreu o crime. Ele está preso na Central de Polícia de João Pessoa, enquanto Inácio está detido no 5º Batalhão da Polícia Militar, localizado no bairro do Valentina, também na Capital.

A prisão dos acusados ocorreu com a presença do coronel Kelson, que foi pessoalmente a Itambé (PE) e Pedras de Fogo (PB) para buscar o sargento, que ao saber que era apontado como um dos suspeitos de imediato colocou-se à disposição da Polícia. Inácio foi detido porque há cerca de um mês teria feito ameaças em público, numa churrascaria, a Manoel Mattos.

O militar já havia sido apontado pelo deputado Federal Luiz Couto (PT) como provável envolvido no caso. Segundo ele, “Flávio Inácio Pereira sempre que se embriagava, dizia para quem quisesse ouvir que um dia iria matar o advogado Manuel de Mattos”.

Cláudio Roberto, mais conhecido por Claudinho, foi preso por policiais na divisa de Pernambuco com a Paraíba. A polícia inclusive apreendeu com ele uma espingarda calibre 12, que teria sido fornecida por ele para executar o advogado.

Apesar de confirmar estas informações, Eitel Santiago deixou claro que a força tarefa tem atuado em sigilo e que todas as informações ficam centralizadas do delegado Walter Brandão, que preside o inquérito e que “vai disponibilizar todas as informações quando for a hora”.

Como se vê em destaque há imprecisão sobre o nome do segundo acuso, com quem estaria a arma. Além dos praticantes do crime é interessante investigar a existência de mentores intelectuais deste crime, pois como se sabe há um grupo de extermínio em ação.


Luiz Couto relator da CPI do extermínio teme ser a próxima vítima

26 janeiro, 2009

luiz_couto08041

Declarações do deputado foram para o sistema correio da paraíba:

O deputado federal Luiz Couto disse nesta segunda-feira (26) que teme ser a próxima vítima do crime organizado depois do assassinato do advogado Manoel Bezerra de Matos Neto, de 44 anos, morto na noite do último sábado (24) com dois tiros de espingarda calibre 12 em Pitimbu, no Litoral Sul do Estado. 

 

Assim como Manoel Bezerra de Matos Neto, Couto foi um dos denunciantes dos grupos de extermínios que agiam na Paraíba e Pernambuco.

Luiz Couto revela que na época da denúncia foi encaminhado um relatório à Comissão Inter-Americana de Direitos Humanos falando sobre o caso, que pediu ao governo brasileiro proteção para as pessoas que participaram ativamente da CPI do Extermínio como denunciante.

Apesar de ter acatado pedido durante algum tempo, o advogado deixou de receber a proteção pouco tempo depois, mesmo com a continuidade das ameaças.

Segundo o deputado QUATRO pessoas que participaram da CPI já foram mortas. Antes de ser morto Manoel Bezerra recebeu ameaças no final de dezembro de 2008. Couto (PT-PB) teme ser o próximo e tem suas razões. 

Que seja dada proteção para o deputado e outros da CPI e que a polícia consiga por os criminosos na cadeia, não apenas os executores, mas principalmente os mandantes! Como sempre ocorre no Brasil, apenas após um crime de grande repercussão as instituições agem com mais afinco no combate a determinados crimes, afinal tem que dar respostas a sociedade. O que é triste.


OAB, PT e Governo manifestam-se sobre Manoel Bezerra da CPI do Extermínio

26 janeiro, 2009

O assassinato brutal do advogado e político do PT Manoel Bezerra de Mattos Neto é sintomático de um problema grave de violência que ocorre na divisa dos estados de Paraíba e Pernambuco. A cooperação entre as duas polícias e governo deve ser a regra, não apenas para este caso, mas para outros, que dastacados no blog bandidos de PE vem para a PB fazer crimes: Um ponto negativo na relação Paraíba – Pernambuco.

 

Veja providência do secretário de segurança da Paraíba: 

O secretário Eitel Santiago, da Segurança e Defesa Social, vai indicar ainda nesta segunda-feira um delegado especial para investigar o assassinato do advogado pernambucano Manoel Mattos, assassinado na noite de sábado, 24, no município de Pitimbu, litoral sul do Estado.

Eitel disse que já existem duas linhas de investigação e que vai solicitar apoio da Polícia de Pernambuco para desvendar o assassinato. A única pista da polícia é que um dos criminosos deixou cair um boné com a marca de uma empresa de segurança.

O deputado estadual de Pernambuco, Fernando Ferro, lamentou a morte do companheiro de partido e disse que será solicitada a intervenção da Polícia Federal nas investigações para desvendar o assassinato. De acordo com as informações, no dia 22 de dezembro do ano passado, a vítima teria recebido ameaças.

Secretário rebate denúncia do deputado Luiz Couto (PT-PB) sobre omissão do secretário. Veja nota.

Veja nota divulgada pela OAB nacional:

Brasília, 25/01/2009 – O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, solicitou hoje (25) ao ministro da Justiça, Tarso Genro, a indicação de um delegado especial da Polícia Federal para apurar o brutal assassinato do advogado e membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB de Pernambuco,  Manoel Bezerra Matos Neto, de 44 anos. Assessor do deputado federal Fernando Ferro (PT-PE), o advogado pernambucano foi assassinado na noite deste sábado, numa casa de veraneio na praia de Pitimbu (Paraíba), cerca de uma hora de João Pessoa, por dois homens encapuzados que entraram na casa onde ele estava com a família, mandaram que todos deitassem e atiraram várias vezes contra Manoel Bezerra.Cezar Britto ligou também para o presidente da Seccional da OAB de Pernambuco, Jayme Asfora, e pediu que fosse transmitida à família do advogado os pêsames de toda a advocacia brasileira. “É lamentável que um profissional do direito sofra uma violência tão grande. Vamos acompanhar de perto o caso, certos de que os assassinos e os possíveis mandantes do crime serão descobertos pela polícia”, afirmou o presidente nacional da OAB, garantindo que o crime praticado contra Manoel Bezerra não ficará impune.

Manoel Bezerra, que morava em Itambé, na mata norte de Pernambuco, morreu no local Ele ficou sob proteção policial por um ano por ser um dos denunciantes do grupo de extermínio na cidade de Itambé, Pernambuco. Segundo o deputado federal Luiz Couto (PT-PB), o advogado estava sofrendo ameaças de morte há vários meses. 

 

Manifestação da OAB – PB:

O presidente da OAB-PB, José Mario Porto, disse nesta segunda-feira (26) que vai solicitar ao Ministério Público Estadual um promotor especial para acompanhar o caso da execução do advogado e vice-presidente do PT estadual de Pernambuco, Manuel Bezerra de Mattos Neto, ocorrida no último sábado no município de Pitimbu.

Porto disse que a Ordem também vai solicitar ao Governo do Estado a designação um delegado especial para investigar esta ação criminosa que, segundo ele, ilustra bem a situação de insegurança que vivem aqueles que vivem em municípios fronteiriços. “Quando há um crime como este a polícia vai para lá, mas depois esquece e a insegurança volta”, afirmou.

O presidente da OAB também contou que será criada uma comissão para discutir a violência contra advogados e pedir que sejam desenvolvidas ações em conjunto entre as polícias da Paraíba e dos estados vizinhos.

José Mário lembrou que a região de Itambé, onde o advogado morava, já foi inclusive palco de reuniões entre organismos internacionais e autoridades locais visando acabar com a violência, há cerca de dois anos, e hoje já voltou a sofrer com a insegurança.

 

Veja nota do PT nacional:

Nota  

O Partido dos Trabalhadores manifesta pesar e indignação pelo assassinato do companheiro Manoel Matttos, advogado e militante dos direitos humanos que ocupava a vice-presidência do PT de Pernambuco.

Manoel Mattos atuava especialmente junto aos sindicatos de trabalhadores rurais do Estado, denunciara a existência de grupos de extermínio com participação de policiais militares e fora vítima de várias ameaças de morte.

O PT Nacional se solidariza com familiares e companheiros de luta de Manoel Mattos, exigindo imediata e rigorosa investigação do crime, bem como a punição dos autores e de eventuais mandantes.

Comissão Executiva Nacional do PT

Brasília, 26 de janeiro de 2009