O cenário que Dantas adoraria e Protógenes odiaria

10 março, 2009

O cenário perfeito – para alguns poderosos que estão no jogo.

O juiz De Sanctis vai ser tirado de seu cargo porque se insurgiu contra uma decisão do STF ao mandar prender novamente Daniel Dantas após Gilmar Mendes (Indicação de Mendes para ministro do Supremo divide meio jurídico– notícia da época) ter dado um habeas corpus. Ao retirar o Juiz, que acompanhou tudo, do cargo ele não julgará as ações que correm contra Daniel Dantas e outros. De modo que estes não encontraram muita resistência e até mais abertura para seus argumentos.

A operação Satiagraha será considerada nula e todos os elementos de provas colhidos serão tidos como não aceitáveis e por isso não se poderá condenar Daniel Dantas e outros pelos crimes em que se envolveram.

O delegado Protógenes será punido por ter feito investigações ilegais paralelamente as investigações legalmente pedidas e será culpado por ter impedido a justiça de punir Daniel Dantas e seus parceiros.

A CPI que investiga a operação Satiagraha presidida pelo Itagiba aprovará relatório condenando o delegado, a ABIN e a PF e de quebra mostra “grampos” que colocam sob suspeita vários políticos ligados ao governo, enquanto esconde “grampos” relacionados ao tucanato.

A revista VEJA não precisa provar com os áudios as reportagens que fez acusando o delegado Protógenes e sai como a dona da verdade.

 —

Este cenário pode ser visto como os objetivos que um conjunto de pessoas detentoras de cargos de poder e que circulam num mesmo circulo de influencias e amizades. Esse conjunto de pessoas possui seus interesses, muitas vezes necessitados de atos não tão morais ou legais para alcançá-los. Há um conjunto de ações sendo realizadas na mídia, em órgãos do poder legislativo e judiciário para que tais objetivos sejam atingidos para que um grupo de pessoas possam se beneficiar com isto. Importante também é perceber que para se associar a este grupo, basta simpatizar com eles e favorecer seus objetivos por acreditar que são bons para o País. Deste modo, não é preciso ligações diretas, mais cumplicidade ideológica.

 —

Como os planos, intencionais ou emergentes, nunca são perfeitos, há sempre desvios. Aí vêm certas perguntas que não querem calar: 

  1. Havia novos elementos que justificavam  um novo pedido de prisão de Daniel Dantas?
  2. Se há estes elementos e se os juízes são independentes porque De Sanctis vai ser condenado?
  3. Durante a operação Satiagraha foram feitas investigações ilegais? Se sim, será que tais ações são suficientes para anular todo um processo que também continham inúmeras investigações amparadas em leis?
  4. Será que o delegado é tão poderoso e megalomaníaco a ponto de investigar ilegalmente todas as mais altas autoridades do País? Estamos falando de um ser humano ou de um monstro?
  5. Por que a revista Veja não mostra os grampos que diz possuir para provar que não está mentindo em suas reportagens e esconde-se sob o manto da dúvida para provar sua verdade?
  6. Agora quem vai pedir a cabeça do delegado que investiga as ações de Protogenes na operação?
  7. Quando a polícia federal colocará ou mesmo o delegado disporá ao povo brasileiro os arquivos que estavam em seu computador para provar de vez quem está mentindo: a Veja ou o Delegado?
  8. Porque Itagiba não quis prorrogar a CPI quando este iria apurar as denuncias de corrupção na secretária de segurança de São Paulo, mas quer prorrogar agora depois de uma reportagem da Veja que não mostra áudio nem imagem?

Vale a pena ler: Da série “o rei está nu”

Hoje pela manhã em recife Protogenes falou: Aguardem os próximos capítulos. Agora vejam os anteriores:

Atuação de Daniel Dantas e Gilmar Mendes geram cada vez mais dúvidas

Delegado Protógenes mostra as feridas da explosão. E não só dela.

Será que querem anular o inquérito para salvar Dantas?!

Radiador do carro de Protógenes explode: atentado ou foi muita coincidência?!


Anúncios

Atuação de Daniel Dantas e Gilmar Mendes geram cada vez mais dúvidas

27 janeiro, 2009

Paulo Henrique Amorim vem colocando mais e mais argumentos e fatos para questionar contundentemente aqueles que questionaram a operação Satiagraha. Questiona-se tudo que ela gerou: os dois Habeus Corpus do Ministro Gilmar Mendes; as tentativas de anular o processo todo, pois sua apuração foi irregular/ilegal; a demissão do delegado Protógenes e Lacerda, este último simbolicamente e efetivamente modificou muito a PF além de outras acusações como uso da mídia por Daniel Dantas.

1.

Tudo começou quando a Veja publicou um suposto grampo feito por alguém junto ao STF e revelou conversa de Gilmar Mendes. Isso mostraria que a polícia estava atuando de modo irregular na apuração do caso Satiagraha. Este grampo gerou grande polêmica e agora começasse a ver que pode ter sido um grande engodo nacional. Que coisa! Veja o que diz o blog Acerto de Contas: Folha diz que grampo de Veja era uma farsa

 

Pode ter passado desapercebido por muitos, até porque era uma matéria discreta, na Folha de São Paulo de sábado.

Segundo apurou a Folha de São Paulo, a Polícia Federal, depois de investigar o suposto grampo que originou a matéria de capa da revista, entre uma conversa de Gilmar Mendes e Demóstenes Torres.

Para quem não se lembra, a Veja do ano passado apresentou uma reportagem de capa, falando que os espiões da Abin teriam grampeado uma conversa entre o Senador e o Presidente do STF.

Muita gente suspeitou da fraude porque nunca apareceu o áudio, e também porque a suposta conversa não tinha nada de comprometedora.

Esse grampo foi o estopim para que se afastasse Paulo Lacerda do cargo de Diretor da Abin.

Segundo a Folha teria apurado, os investigadores da Polícia Federal já saberiam que nenhuma gravação tinha sido feita, o que mostra que a reportagem foi uma fraude.

Para completar Paulo Henrique Amorim pensa alto em seu blog:

 

 Na Folha (*) de sábado, na página A4, há um texto que diz que as investigações intensivas da Polícia Federal chegaram à inexorável conclusão: o grampo sem áudio não tem áudio e não é grampo.

E não se sabe quem grampeou…

 Como dizia o ínclito delegado Protógenes no Roda Morta: grampo sem áudio não é grampo.

Como diz uma assessora do ínclito Paulo Lacerda, a Cynara Menezes, da Carta Capital: grampo sem áudio é homicídio sem cadáver.

O que era então o grampo sem áudio que não tem áudio nem autor e nem é grampo?

Para que serviu?

Serviu para o Presidente do Supremo Gilmar Dantas, segundo Ricardo Noblat, chamar o presidente Lula “às falas” – e o presidente que tem medo se submeteu a ser chamado “às falas”…

Imediatamente, o Presidente que se deixou chamar “às falas” demitiu o ínclito delegado Paulo Lacerda.

O Ministro serrista – já integrado à Campanha “Serra 2010” – Nelson Jobim produziu uma prova definitiva para desmoralizar o Serviço de Inteligência do Brasil: uma babá eletrônica que “fez” o grampo que não tem áudio, não tem autor e não é grampo.

O trabalho do PiG(**), articulado por Gilmar Dantas (segundo Noblat), foi, então, “contaminar” a Operação Satiagraha.

O PiG seguiu a estratégia do bandido condenado, Daniel Dantas: como é impossível se defender das acusações contidas na Satiagraha, o negócio é fazer a Satiagraha deixar de existir, matá-la, vítima de “contaminação”.

Agora, o PiG esconde a informação de que o grampo não tem áudio, não tem autor e nem existe.

Quem fabricou o grampo?

A Polícia Federal chegou à conclusão de que o grampo não tem autor.

Ninguém grampeou.

Então, quem grampeou o grampo da Veja?

O autor levanta alguns suspeitos: a veja, o presidente do STF junto com o Senador e a resvista.  Veja a íntegra das hipóteses.

 

2.

Outras críticas sobre a operação foram no sentido de questionar o modo de atuação da PF e mostrar que esta usava algemas em excesso e pedia bloqueios de dinheiro sem respaudo legal. Estes fatos também são questioandos:

aaaVeja que Kenny Boy está preso, de algemas. Nem por isso a democracia americana foi à breca. Nem a Suprema Corte baixou uma lei para impedir que rico, branco de olhos azuis fosse algemado. Nem os ricos americanos passaram a temer mais a Lei. Eles já temem… E respeitam a Suprema Corte, onde não tem “facilidades” …

 

Para completar Protógenes traz estes fatos: ” Quando as tevês exibiram insistentemente imagens de executivos humilhados e algemados, analistas, políticos e líderes empresarias foram rápidos em afirmar que indivíduos gananciosos e corruptos, e não o sistema como um todo, eram os culpados pela desgraça de Wall Street. “estamos falando apenas de algumas maçãs podres ou há algo de errado com o sistema ?”, Sam Donaldson perguntou ao ex-presidente da bolsa de valores de Nova York, Richard Grasso, no programa This Week do canal norte-americano ABC. “Bem, Sam”, Grasso explicou, “tivemos algumas falências de grande porte e temos que extirpar as pessoas ruins, as práticas erradas; isso sem dúvida, seja um, sejam quinze, e isso em comparação com mais de dez mil empresas de capital aberto – mas uma, Sam, apenas uma WordCom ou uma ENRON já é demais”. Apesar dessas afirmações, hoje os cidadãos – e também muitos líderes empresariais – estão preocupados com o fato de que os defeitos do sistema corporativo podem ser muito mais profundos do que alguns tremores em Wall Street possam indicar. A premissa principal é de que a corporação é uma instituição – uma estrutura única e um conjunto de ordens que direcionam as ações das pessoas dentro dela.”

Nestes dias a justiça internacional fez o que a brasileira não conseguiu e com muito menos papéis e até mais afastada dos fatos, isso revelaria que no exterior, Dantas não tem “facilidades”.

A revista Carta Capital que chega nesta sexta-feira às bancas de São Paulo traz reportagem de Cynara Menezes: “No Bolso, ao menos – Satiagraha – O Ministério da Justiça consegue bloquear 2 bilhões de dólares de Dantas no exterior. É um duro golpe no banqueiro.” Cynara apurou que 90% dos recursos congelados pertencem a uma só pessoa: Daniel Dantas. O congelamento foi feito em parceria com o Governo dos Estados Unidos e da Inglaterra (*) –veja Como Romeu Tuma Júnior deu o golpe fatal em Daniel Dantas.

Cynara conclui assim: “Quanto ao banqueiro (Dantas), fica claro mais uma vez que ele não ‘conta com facilidades’ fora do Brasil. Enquanto aqui os processos contra ele andam a passo de tartaruga (são raríssimos os casos de condenação como a decidida pelo juiz Fausto De Sanctis), no exterior Dantas é um contumaz perdedor.

Juízes estrangeiros já o chamaram literalmente de mentiroso e ladrão. Nestas bandas, ele costuma ser definido apenas como ‘polêmico’”.

É necessário que nosso líderes e círculos de pessoas de poder neste país vejam bem o que está acontecendo ou que o estão fazendo. As coisas mudam… Porque lá as coisas andam e aqui não? Para questionar a burocracia brasileira é fácil e rápido, mas neste caso ninguém ousou falar.


Delegado Protógenes mostra as feridas da explosão. E não só dela.

26 janeiro, 2009

protogenes

Recentemente, dia 17 de janeiro,  o delegado Protógenes Queiroz viu o radiador do seu carro estourar e devido a grandeza e impacto da explosão e as denúncias e situações políticas na qual o delegado vem se envolvendo gerou-se a suspeira, ainda não derimida, de que se trata de atentado, veja a notícia: Radiador do carro de Protógenes explode: atentado ou foi muita coincidência?!

Nestes dias o delegado colocou em seu blog quais as providências que estão sendo tomadas e o que ocorreu após a explosão que muitos achavam que se tratava de mentira forjada por alguém que invadiu o blog do delegado. Veja o que Protógenes disse:

Comunicamos ao povo brasileiro e aos internautas que no dia 19 de janeiro de 2009, o Delegado Protógenes foi submetido a uma avaliação no Hospital das Clínicas em São Paulo, no Centro de Queimaduras onde foi submetido a uma cirurgia no pé direito, a fim de recuperar a região atingida por lesões provocadas por queimaduras de segundo grau. No momento está se refazendo do infortúnio em companhia de seus familiares.

Quanto ao infortúnio sofrido, algumas medidas iniciais já foram realizadas no sentido de identificar se a causa foi acidental, provocada por falha mecânica do veículo, ou um ato de sabotagem provocado por terceiro. Nenhuma das hipóteses merecem ser desprezadas devido a fatos que ocorreram durante a operação Satiagraha. Mesmo assim surgiram notícias mentirosas e tendênciosas plantadas na grande mídia, no sentido de que o veículo foi alvejado por disparo de arma de fogo provocado por terceiro (s). Vê-se que existem adversários que não se cansam em tentar lançar dúvidas perante a opinião pública para desacreditar a existência de fatos que envolvam alguma relação suspeita contra a segurança ou integridade física de Protógenes, como se este não fosse portador em sua mente de segredos compartilhados com outros integrantes da sua equipe de combate à corrupção ao longo desses dez anos a frente de operações policiais, que são verdadeiros paradigmas dentro da história da Polícia Federal. Acreditamos que os procedimentos já existentes, resultarão em breve, se houve ou não  tentativa ou obstrução nos trabalhos relacionados com a operação de inteligência denominada de Satiagraha.

As fotos do acidente e as queimaduras foram mostradas no blog do Paulo Henrique, este que está cada vez mais envolvido num conflito policial e pessoal com Daniel Dantas e José Serra.

Veja como ficaram os pés do ínclito delegado Protógenes após o atentado: As fotos ficaram bem feias.


Radiador do carro de Protógenes explode: atentado ou foi muita coincidência?!

17 janeiro, 2009

O delegado Protógenes Queiroz afirma ter sofrido atendado hoje no Rio. Vale Ressaltar, NÃO DEU NA GRADE MÌDIA.

Veja seu blog:

Comunico ao povo brasileiro e aos internautas que no dia 15 de janeiro de 2009, por volta das 15:00hs. sofri o primeiro atentado quando dirigia um automóvel deslocando do Jardim Botânico com destino a Niterói, ato contíuno ainda no JB o radiador de água quente explodiu causando uma nuvem de fuça muito grande e explosão do painel do veículo. Resultado sofri queimaduras de primeiro grau nos pés e lesões pelo corpo. Sai imediatamente do Rio de Janeiro com destino a São Paulo onde fui imediatamente socorrido, por medida de segurança. No momento estou em casa me recuperando do trauma. Tenho como testemunha do ocorrido a fraterna amiga Silvia Calmon ( pisicanalista) , os populares que me socorreram e meus padrinhos Jose Zelman e Nelia Maria Zelman. (…)

Recomendação aos incautos: Não pratiquem nada contra mim, não adianta os individuos do mal vir contra ao cidadão de bem, vão ter que praticar atentados em mais de duzentos milhões de basileiros indignados e façam bem feito, para não ocorrer da forma como aconteceu com Protógenes no dia 15 de Janeiro do corrente ano. Desejo ao Daniel Dantas e comparsa SAÚDE e PAZ que a verdade se revelará. 

____

Comentários do Conversa Afiada de Paulo Henrique Amorim: Isso não é a primeira vez!

Porque Protógenes acha que foi um atentado?

17/janeiro/2009 12:52

. Depois que a “repórter” da Folha (*) Andrea Michael publicou uma “reportagem” sob “encomenda” (**) para avisar Daniel Dantas que ele estava para ser preso, ocorreu em Brasília um fato que ainda está por desvendar-se.

. O ínclito delegado Protogenes Queiroz – que sofreu um atentado quinta-feira passada, no Rio – usava uma Blazer verde.

. Um dia, o perito que trabalhava com ele, Esmeraldo Parangaba, saiu com a Blazer.

. 50 metros depois, a roda dianteira direita ficou frouxa.

. Esmeraldo parou a Blazer e verificou que os parafusos originais tinham sido trocados.

. Protógenes denunciou o fato aos superiores, na Polícia Federal.

—-

Luís Nassif:  Comentário

Assim como nesse caso do pen-drive (vazado pelo corregedor da PF para o Estadão), é melhor aguardar mais informações sobre o episódio.

Do Acerto de Contas:

O radiador do carro dirigido pelo delegado Protógenes Queiroz explodiu na quinta-feira, quando este se deslocava do Jardim Botânico para Niteroi, no Rio de Janeiro.

A explosão teria sido tão forte que destruiu o painel do veículo, tendo o delegado sofrido queimaduras de primeiro grau nos pés e lesões pelo corpo.

Protógenes está agora em São Paulo, e divulgou esta notícia no seu blog.

Eu como sou desconfiado, não acredito muito em coincidências, ainda mais morando em Recife, onde as coisas se resolvem à base da violência.

E você, acredita?