Barbaridade em série: assassino da família Santos é torturado pela polícia

13 julho, 2009

Hoje aquilo que apenas era senso comum ou suspeitas que rolavam boca a boca pela cidade foi confirmada com um vídeo. A polícia bateu e torturou o assassino que matou sete pessoas da família Santos.

Imagens de um cinegrafista amador, exibidas com exclusividade no telejornal “O Norte Agora”, nesta segunda-feira, dia 13, mostram cenas de tortura contra Carlos José dos Santos, acusado de matar sete pessoas da mesma família (incluindo dois bebês que ainda estavam no ventre da mãe assassinada) na chacina do Rangel, na madrugada última quinta-feira, dia 9.

VEJA VÍDEO AQUI

As imagens mostram supostos agentes penitenciários agredindo o acusado a socos e pontapés. O local onde a agressão aconteceu ainda não foi identificado, mas o caso possivelmente ocorreu em um presídio da Capital.

O secretário Executivo de Administração Penitenciária, coronel Maurício, afirmou que não vai se adiantar sobre o conteúdo do vídeo que mostra o acusado de chacina uma família sendo torturado por supostos agentes penitenciários. Ele afirmou, porém, que determinou a abertura de uma investigação e determinou que fosse feito um exame de corpo de delito no preso.

Já o presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos, o procurador Duciran Farena, após assistir ao vídeo em que Carlos José dos Santos é torturado, solicitou ao secretário de Segurança Pública, Gustavo Gominho, a instauração imediata, dentro de 72 horas, de uma investigação e a adoção de medidas para “assegurar a incolumidade física do acusado”.

O advogado Alexandre Guedes, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), afirmou que o caso é grave e que será levado à pauta da reunião do Conselho Estadual de Direitos Humanos.

“Este é um crime grave porque se trata de um crime praticado dentro da estrutura do Estado. Sempre recebemos denúncias, mas ainda não tínhamos provas visuais. É um absurdo porque pessoas pagas pelo Estado estão praticando um ato de ilegalidade que pode causar prejuízos ao próprio Estado”, afirmou explicando que toda pessoa que sofre atos contra a sua integridade física pode exigir indenização do Estado. “Não se trata de a vítima de tortura ser culpado ou inocente. Mas o agente do Estado não pode praticar vingança pessoal contra o preso”, completou.

Entre as vítimas mortas na chacina estão os irmãos Raíssa Soares dos Santos, de apenas 2 anos, Rair Soares dos Santos, de 4 anos, e Raquel Soares dos Santos, 10 anos. Também foram assassinados o pai, Moisés Soares dos Santos, de 33 anos, e a mãe, Evanize dos Santos, de 27 anos, que estava grávida de gêmeos e perdeu os bebês antes de morrer.

Das vítimas do atentado praticado na última quinta-feira apenas dois garotos sobreviveram. Rian, de sete anos, que ainda está internado no Hospital de Emergência e Trauma, e o irmão dele, Tirciano, de 11 anos, que conseguiu escapar sem ferimentos por ter se escondido embaixo de uma cama quando percebeu que a casa estava sendo invadida.

Além de Carlos, a esposa dele, Edileuza Oliveira, também é acusada de ter participado do crime. Carlos está preso no presídio do Róger e Edileuza está no presídio do “Bom Pastor”.

CNJ faz inspeção no presídio

Uma comissão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) está neste momento no presido do Roger, fazendo uma inspeção das condições carcerárias e apurando denúncias de tortura contra os detentos.

Informações repassadas com exclusividade ao WSCOM Online dão conta de que o gesseiro José Carlos dos Santos, que ficou conhecido como “O Monstro do Rangel”, por ter realizado uma chacina no bairro que matou cinco pessoas e dois fetos, será ouvido pelos membros da comissão.

Nesta segunda-feira 13 foi veiculado um vídeo em várias emissoras de televisão do Estado mostrando o gesseiro sendo espancado por homens fardados, provavelmente agentes do presídio.

Além de ouvir o “Monstro do Rangel”, a comissão vai verificar as condições carcerárias dos demais apenados, como está fazendo em outros presídios da Paraíba e de todo o país.

O juiz daVara das Execuções Penais, Carlos Beltrão, está acompanhando a Comissão.

IML confir agressões:

O laudo entregue à Secretaria de Cidadania e Administração Penitenciária do Estado demonstra que o réu sofreu lesões nas costas e no tórax.

O resultado definitivo só sai nesta quarta (15). O réu confesso foi analisado por dois médicos legistas no Instituto de Polícia Científica, em João Pessoa, e depois retornou à cela isolada no presídio do Roger.

Após analisar as primeiras evidências e um vídeo que foi divulgado na segunda-feira mostrando o preso sendo espancado, a secretaria já adiantou uma certeza: as imagens foram mesmo feitas dentro do Roger. A informação contraria a defesa do ex-diretor da unidade, Dinamérico Cardim, que falou em entrevista à rádio 101 FM que o vídeo seria uma montagem e não teria sido gravado na instituição.


OAB, PT e Governo manifestam-se sobre Manoel Bezerra da CPI do Extermínio

26 janeiro, 2009

O assassinato brutal do advogado e político do PT Manoel Bezerra de Mattos Neto é sintomático de um problema grave de violência que ocorre na divisa dos estados de Paraíba e Pernambuco. A cooperação entre as duas polícias e governo deve ser a regra, não apenas para este caso, mas para outros, que dastacados no blog bandidos de PE vem para a PB fazer crimes: Um ponto negativo na relação Paraíba – Pernambuco.

 

Veja providência do secretário de segurança da Paraíba: 

O secretário Eitel Santiago, da Segurança e Defesa Social, vai indicar ainda nesta segunda-feira um delegado especial para investigar o assassinato do advogado pernambucano Manoel Mattos, assassinado na noite de sábado, 24, no município de Pitimbu, litoral sul do Estado.

Eitel disse que já existem duas linhas de investigação e que vai solicitar apoio da Polícia de Pernambuco para desvendar o assassinato. A única pista da polícia é que um dos criminosos deixou cair um boné com a marca de uma empresa de segurança.

O deputado estadual de Pernambuco, Fernando Ferro, lamentou a morte do companheiro de partido e disse que será solicitada a intervenção da Polícia Federal nas investigações para desvendar o assassinato. De acordo com as informações, no dia 22 de dezembro do ano passado, a vítima teria recebido ameaças.

Secretário rebate denúncia do deputado Luiz Couto (PT-PB) sobre omissão do secretário. Veja nota.

Veja nota divulgada pela OAB nacional:

Brasília, 25/01/2009 – O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, solicitou hoje (25) ao ministro da Justiça, Tarso Genro, a indicação de um delegado especial da Polícia Federal para apurar o brutal assassinato do advogado e membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB de Pernambuco,  Manoel Bezerra Matos Neto, de 44 anos. Assessor do deputado federal Fernando Ferro (PT-PE), o advogado pernambucano foi assassinado na noite deste sábado, numa casa de veraneio na praia de Pitimbu (Paraíba), cerca de uma hora de João Pessoa, por dois homens encapuzados que entraram na casa onde ele estava com a família, mandaram que todos deitassem e atiraram várias vezes contra Manoel Bezerra.Cezar Britto ligou também para o presidente da Seccional da OAB de Pernambuco, Jayme Asfora, e pediu que fosse transmitida à família do advogado os pêsames de toda a advocacia brasileira. “É lamentável que um profissional do direito sofra uma violência tão grande. Vamos acompanhar de perto o caso, certos de que os assassinos e os possíveis mandantes do crime serão descobertos pela polícia”, afirmou o presidente nacional da OAB, garantindo que o crime praticado contra Manoel Bezerra não ficará impune.

Manoel Bezerra, que morava em Itambé, na mata norte de Pernambuco, morreu no local Ele ficou sob proteção policial por um ano por ser um dos denunciantes do grupo de extermínio na cidade de Itambé, Pernambuco. Segundo o deputado federal Luiz Couto (PT-PB), o advogado estava sofrendo ameaças de morte há vários meses. 

 

Manifestação da OAB – PB:

O presidente da OAB-PB, José Mario Porto, disse nesta segunda-feira (26) que vai solicitar ao Ministério Público Estadual um promotor especial para acompanhar o caso da execução do advogado e vice-presidente do PT estadual de Pernambuco, Manuel Bezerra de Mattos Neto, ocorrida no último sábado no município de Pitimbu.

Porto disse que a Ordem também vai solicitar ao Governo do Estado a designação um delegado especial para investigar esta ação criminosa que, segundo ele, ilustra bem a situação de insegurança que vivem aqueles que vivem em municípios fronteiriços. “Quando há um crime como este a polícia vai para lá, mas depois esquece e a insegurança volta”, afirmou.

O presidente da OAB também contou que será criada uma comissão para discutir a violência contra advogados e pedir que sejam desenvolvidas ações em conjunto entre as polícias da Paraíba e dos estados vizinhos.

José Mário lembrou que a região de Itambé, onde o advogado morava, já foi inclusive palco de reuniões entre organismos internacionais e autoridades locais visando acabar com a violência, há cerca de dois anos, e hoje já voltou a sofrer com a insegurança.

 

Veja nota do PT nacional:

Nota  

O Partido dos Trabalhadores manifesta pesar e indignação pelo assassinato do companheiro Manoel Matttos, advogado e militante dos direitos humanos que ocupava a vice-presidência do PT de Pernambuco.

Manoel Mattos atuava especialmente junto aos sindicatos de trabalhadores rurais do Estado, denunciara a existência de grupos de extermínio com participação de policiais militares e fora vítima de várias ameaças de morte.

O PT Nacional se solidariza com familiares e companheiros de luta de Manoel Mattos, exigindo imediata e rigorosa investigação do crime, bem como a punição dos autores e de eventuais mandantes.

Comissão Executiva Nacional do PT

Brasília, 26 de janeiro de 2009


Manoel Bezerra da CPI do Extermínio é assassinado. OAB pede a Tarso investigação especial

25 janeiro, 2009

Notícia do portal correio.

O vereador petista e advogado pernambucano Manoel Bezerra de Mattos Neto, 40 anos, casado, que residia na cidade de Itambé, interior pernambucano, foi assassinado na noite deste sábado (24) com dois tiros de espingarda calibre 12. O crime aconteceu na praia de Acaú no município de Pitimbú, litoral Sul do Estado. A Polícia suspeita de vingança já que o vereador atuou como testemunha da existência de grupos de extermínio que agiam na Paraíba e no Estado vizinho Pernambuco.

Manoel Bezerra foi atingido por dois tiros, sendo um na região frontal com saída na nuca, e outro no esterno. O advogado era ligado a Sindicatos Rurais onde atuava na defesa de agricultores. Ele também foi um dos depoentes da CPI do Extermínio, na Câmara, que na ocasião, revelou nomes de paraibanos envolvidos em crimes de extermínio que agiam tanto na Paraíba como em Pernambuco. Desde então, Manoel recebia proteção da Polícia Federal.

 De acordo com a Polícia, confirmadas posteriormente pelo perito Wilton Videres, do Departamento de Criminalística, do IPC, os possíveis criminosos teriam sido vistos rondando a vizinhança, horas antes do crime ocorrer. Mas, como a cidade nesta época do ano recebe um grande número de turistas, os amigos acabaram não dando importância ao fato. Eles (os assassinos) usavam um automóvel Fiat, tipo Pálio, cor preta. As placas não foram identificadas.

Como ocorreu – Por volta das 22h30, dois pistoleiros se aproximaram a pé da entrada da residência onde Manoel Bezerra e amigos bebiam e, de armas em punho, ordenaram que todos deitassem no chão. Um deles, apontando e pressionando o cano da espingarda contra o tórax do advogado Manoel Bezerra, disse. “Todos se deitem no chão, com exceção desse ‘Boy'”, ordenou, pressionando ainda mais o cano da espingarda contra o peito da vítima.

Segundo relataram os amigos do advogado à Polícia, quando todos se deitaram, o pistoleiro acionou o gatilho, efetuando o disparo a queima roupa. Caído no chão, o pistoleiro deu um segundo tiro na região frontal de Manoel Bezerra.

O delegado Manoel Neto Magalhães, superintendente de Polícia Civil na região metropolitana de João Pessoa, se deslocou até o local do crime para coordenar as investigações que se estenderam por toda a madrugada, mas ainda não há pistas sobre o paradeiro e a identidade da dupla de assassinos.

Outras informações: 

Vice-presidente do PT de Pernambuco é executado em Pitimbu

Declarações do Deputado Federal Luiz Couto do PT-PB sobre o crime

Enterro será as 17h

OAB quer delegado especial para apurar assassinato

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, pediu ao ministro da Justiça, Tarso Genro, a indicação de um delegado especial da Polícia Federal para apurar o assassinato do advogado e membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB de Pernambuco, Manoel Bezerra Matos Neto, de 44 anos. 

O advogado foi assassinado por dois homens encapuzados na noite de ontem, numa casa de veraneio na praia de Pitimbu, Paraíba. “É lamentável que um profissional do direito sofra uma violência tão grande. Vamos acompanhar de perto o caso, certos de que os assassinos e os possíveis mandantes do crime serão descobertos pela polícia”, afirmou o presidente nacional da OAB, por meio de sua assessoria. 

Manoel Bezerra, que morava em Itambé, na mata norte de Pernambuco, ficou sob proteção policial por um ano por ser um dos denunciantes do grupo de extermínio na cidade de Itambé, Pernambuco.