Graves problemas de segurança na Paraíba!!!

26 janeiro, 2010

Após a apresentação forma da existência de grupos de extermínio pelo Secretário de Segurança do Estado, confirmando denúncias e apurações antes realizadas por parlamentares como Luiz Couto e Frei Anastácio, o que estamos vendo é uma ação de ataque a soldados da polícia paraibana. Coincidência ou não em pouco tempo começam a aparecer casos de policiais que s]ao alvo de tiros. Primeiro foi em Camboinha, agora, algo muito grave, gravíssimo ocorreu. Veja notícia abaixo.

O povo da Paraíba não pode ficar refém de um conjunto de bandos armados que fazem suas próprias leis e impedem as pessoas de viveram com um mínimo de segurança capaz de lhe dar conforto para ir e vir, para trabalhar, divergir e exercer sua cidadania. Não estamos falando de assaltos e roubos avulsos, estamos falando de grupos pequenos e grandes, vários, que estão espalhados pelo estado cometendo crimes por encomenda a mando de traficantes, desafetos e agora buscam atingir a própria polícia.

Esse episódio que ocorreu nos Funcionários II é gravíssimo, não pode ser nota de roda pé de jornal. Se a própria polícia começa a ser o alvo, e se partes da própria também está envolvida nesses grupos, quem garantirá a segurança da sociedade.

Este tema é de suma relevância, é mais importante que ficar discutindo picuinhas políticas como faz diariamente nossa mídia, jornalistas e comentaristas. Estes não conseguem nem reconhecer a gravidade do ocorrido.

Que o Estado se manifeste.

Policial Militar é ferido gravemente após ser perseguido por bandidos no bairro dos Funcionários

O policial militar João Virgínio dos Santos, 27 anos, foi ferido na noite desta segunda-feira, dia 25, com dois tiros após ser perseguido no bairro dos Funcionários II, em João Pessoa. Ele está em estado grave no hospital de Emergência e Trauma.

João Virgínio dos Santos estava numa motocicleta quando percebeu que estava sendo seguido por dois homens em outra moto. Ele tentou fugir correndo após abandonar a moto. Contudo, o homem que estava na guarupa desceu e iniciou uma troca de tiros com o policial.

Na tentativa de fuga, João Virgínio dos Santos acabou alcançado pelos criminosos e atingido por dois tiros.

Durante o tiroteio, um disparo atingou Alex Arantes da Silva, 30 anos, que passava pelo local. Ele foi socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma e já recebeu alta.


ASPOL virá objeto descartável na mão do Governo

10 novembro, 2009

A ASPOL está sentindo na pele e de forma muito clara, como é ser um objeto descartável, um objeto de conveniências. Será que eles lembram que o Sistema Correio também os abandonou?! O correio só fala na quantidade de processos acumulados e notinhas escondidas no jornal. Pois é… Só o tempo para mostrar com as coisas políticas funcionam na Paraíba.

Aliás isso não ocorre apenas em relação a polícia. As propagandas que o Governo está soltando no ar transformaram as obras de Cássio em obras que estão trazendo a reconstrução da Paraíba. Sei que Maranhão tem que fazer seu jogo político, mas está ultrapassando alguns limites do aceitável, chega a ser cinismo. Dizem que estão tocando a obra do Clementino… faz tempo que esta obra está sendo tocada, eles só estão continuando e se apropriando como se ela tivesse começado agora.

Pois bem, os policiais que antes tinham todo o direito e estavam certos em suas reivindicações viraram agora aquele grupo de pessoas inflexíveis que querem tornar a segurança um caos. Vejam as declarações de Flávio Moreira da ASPOL.

“Ano passado os deputados estavam conosco em nosso movimento, subindo em carros de som e dizendo que o governo era um caos. Mas após mudança de governo, ninguém mais fala nada”, reclamou o presidente da Associação dos Policiais Civis da Paraíba (Aspol), Flávio Moreira, em participação no programa Paraíba Agora, da 101 FM.

Segundo ele, os deputados Trócolli Jr. e Gervázio Filho (ambos do PMDB), a quem chamou de amigos, participavam ativamente dos protestos feitos pelos policiais até o fim do ano passado. No entanto, com a cassação do cargo de Cássio Cunha Lima (PSDB) e o encaminhamento de José Maranhão (PMDB) ao governo do Estado, os deputados, antes de oposição, desistiram de apoiar o movimento grevista.

“Antes, eles acreditavam que a segurança no Estado estava um caos e cobravam do então governador uma solução. Mas será que só porque mudou o governo a segurança deixou de precisar de ajuda?”, questionou.

Flávio disse ainda que o movimento já “flexibilizou” demais. “Estamos esperando há 8 meses, pediram que esperássemos até 2009, depois disseram que resolveriam em 2010. Agora estão querendo lançar as modificações para 2011. Nós aceitamos, mas a proposta deve suprir nossas necessidades”.


Barbaridade em série: assassino da família Santos é torturado pela polícia

13 julho, 2009

Hoje aquilo que apenas era senso comum ou suspeitas que rolavam boca a boca pela cidade foi confirmada com um vídeo. A polícia bateu e torturou o assassino que matou sete pessoas da família Santos.

Imagens de um cinegrafista amador, exibidas com exclusividade no telejornal “O Norte Agora”, nesta segunda-feira, dia 13, mostram cenas de tortura contra Carlos José dos Santos, acusado de matar sete pessoas da mesma família (incluindo dois bebês que ainda estavam no ventre da mãe assassinada) na chacina do Rangel, na madrugada última quinta-feira, dia 9.

VEJA VÍDEO AQUI

As imagens mostram supostos agentes penitenciários agredindo o acusado a socos e pontapés. O local onde a agressão aconteceu ainda não foi identificado, mas o caso possivelmente ocorreu em um presídio da Capital.

O secretário Executivo de Administração Penitenciária, coronel Maurício, afirmou que não vai se adiantar sobre o conteúdo do vídeo que mostra o acusado de chacina uma família sendo torturado por supostos agentes penitenciários. Ele afirmou, porém, que determinou a abertura de uma investigação e determinou que fosse feito um exame de corpo de delito no preso.

Já o presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos, o procurador Duciran Farena, após assistir ao vídeo em que Carlos José dos Santos é torturado, solicitou ao secretário de Segurança Pública, Gustavo Gominho, a instauração imediata, dentro de 72 horas, de uma investigação e a adoção de medidas para “assegurar a incolumidade física do acusado”.

O advogado Alexandre Guedes, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), afirmou que o caso é grave e que será levado à pauta da reunião do Conselho Estadual de Direitos Humanos.

“Este é um crime grave porque se trata de um crime praticado dentro da estrutura do Estado. Sempre recebemos denúncias, mas ainda não tínhamos provas visuais. É um absurdo porque pessoas pagas pelo Estado estão praticando um ato de ilegalidade que pode causar prejuízos ao próprio Estado”, afirmou explicando que toda pessoa que sofre atos contra a sua integridade física pode exigir indenização do Estado. “Não se trata de a vítima de tortura ser culpado ou inocente. Mas o agente do Estado não pode praticar vingança pessoal contra o preso”, completou.

Entre as vítimas mortas na chacina estão os irmãos Raíssa Soares dos Santos, de apenas 2 anos, Rair Soares dos Santos, de 4 anos, e Raquel Soares dos Santos, 10 anos. Também foram assassinados o pai, Moisés Soares dos Santos, de 33 anos, e a mãe, Evanize dos Santos, de 27 anos, que estava grávida de gêmeos e perdeu os bebês antes de morrer.

Das vítimas do atentado praticado na última quinta-feira apenas dois garotos sobreviveram. Rian, de sete anos, que ainda está internado no Hospital de Emergência e Trauma, e o irmão dele, Tirciano, de 11 anos, que conseguiu escapar sem ferimentos por ter se escondido embaixo de uma cama quando percebeu que a casa estava sendo invadida.

Além de Carlos, a esposa dele, Edileuza Oliveira, também é acusada de ter participado do crime. Carlos está preso no presídio do Róger e Edileuza está no presídio do “Bom Pastor”.

CNJ faz inspeção no presídio

Uma comissão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) está neste momento no presido do Roger, fazendo uma inspeção das condições carcerárias e apurando denúncias de tortura contra os detentos.

Informações repassadas com exclusividade ao WSCOM Online dão conta de que o gesseiro José Carlos dos Santos, que ficou conhecido como “O Monstro do Rangel”, por ter realizado uma chacina no bairro que matou cinco pessoas e dois fetos, será ouvido pelos membros da comissão.

Nesta segunda-feira 13 foi veiculado um vídeo em várias emissoras de televisão do Estado mostrando o gesseiro sendo espancado por homens fardados, provavelmente agentes do presídio.

Além de ouvir o “Monstro do Rangel”, a comissão vai verificar as condições carcerárias dos demais apenados, como está fazendo em outros presídios da Paraíba e de todo o país.

O juiz daVara das Execuções Penais, Carlos Beltrão, está acompanhando a Comissão.

IML confir agressões:

O laudo entregue à Secretaria de Cidadania e Administração Penitenciária do Estado demonstra que o réu sofreu lesões nas costas e no tórax.

O resultado definitivo só sai nesta quarta (15). O réu confesso foi analisado por dois médicos legistas no Instituto de Polícia Científica, em João Pessoa, e depois retornou à cela isolada no presídio do Roger.

Após analisar as primeiras evidências e um vídeo que foi divulgado na segunda-feira mostrando o preso sendo espancado, a secretaria já adiantou uma certeza: as imagens foram mesmo feitas dentro do Roger. A informação contraria a defesa do ex-diretor da unidade, Dinamérico Cardim, que falou em entrevista à rádio 101 FM que o vídeo seria uma montagem e não teria sido gravado na instituição.


Irracionalidade: chacina na família Santos

9 julho, 2009

Esta manhã a Paraíba amanheceu chocada e sem entender ao certo o que aconteceu no bairro do Rangel.

Carlos José  e Edileuza de Oliveira mataram a golpes de fação seus vizinhos: o pai e três filhos. A mãe das crianças, grávida de gêmeos, está em estado grave junto com um quarto filho do casal no Hospital de Emergência e Traumas. Um quinto filho não sofreu ferimentos, pois se escondeu debaixo da cama até tudo acabar.

Tragédias familiares como a do Casal Nardoni e dos Richthofen chocaram o Brasil. Neste caso, tudo teria ocorrido devido há um cascudo que o filho do casal acusado teria levado de uma das crianças do casal assassinada. O cenário, segundo os policiais, era de uma verdadeira carnificina. Pedaços de corpos estariam espalhados por toda a casa. Até uma mão de criança foi encontrada em cima de um armário.

Nome das vítimas:

Moises Soares Filho – 36 anos (PAI) 
Raissa Soares dos Santos – 2 anos 
Raquel Soares dos Santos – 10 anos 
Rai Sares dos Santos – 4 anos

Nome dos sobreviventes em estado grave:

Ian Soares dos Santos de 6 anos;

Divanisa Lima dos Santos de 26 anos;

Não se tem informações, há nomes desencontrados como Rian Priciano ou Luciano de 11 anos.

Motivação – Carlos José revelou para a polícia que havia ficado revoltado com seu vizinho, Moisés por ter sido demitido de uma fábrica de gesso onde ambos trabalhavam. Ele culpava Moisés pela demissão.

No início dessa semana, segundo as informações, filhos de Carlos José e Moisés teriam se desentendido por causa do desaparecimento de uma galinha e o filho mais velho de Moisés teria agredido um dos filhos de Carlos o que gerou a ameaça de vingança.

No início da madrugada desta quinta-feira, quando a rua estava calma e sem movimentação o casal resolveu se dirigir à residência de Moisés armados com uma faca e um facão e agredir a todos.

Após a chacina, Carlos e Edileuza retornaram para casa, mas não contavam que um dos filhos de Moisés escondido assistiu a tudo. Saiu de casa gritando, pedindo socorro, acordando os vizinhos, que chamaram a polícia.

Ao retornar para casa, Carlos e Edileuza tomaram banho, guardaram as roupas sujas de sangue e também as armas. Eles foram presos quando estavam deitados e tentaram negar os crimes. Ambos foram autuados em flagrante na 9ª Delegacia Distrital.

nicialmente Carlos e Edileuza tentaram negar a autoria dos crimes. Mas os PMs encontraram as roupas sujas de sangue e eles resolveram confessar. Carlos revelou que agiu em vingança, enquanto que Edileuza disse que acompanhou o marido e ficou na janela da casa do vizinho assistindo a ação dele.

Várias viaturas dao 5º BPM se posicionaram na frente da 9ª Delegacia Distrital, pois havia a informação de que pessoas queriam invadir a delegacia para vingança.

Mãe morre com filhos gêmeos na barriga:

O Hospital de Trauma confirmou a morte de mais uma vítima da chacina que aconteceu no bairro do Rangel, na madrugada da última quinta-feira (9). Mais cedo, Divanisa Lima, de 37 anos, que estava grávida, teve uma parada cardíaca e perdeu os gêmeos. No começo da tarde desta sexta-feira (10), ela veio a falecer.

Inicialmente, o Trauma declarou que Divanisa não corria risco de morte, mas que não era possível ter certeza sobre o estado dos bebês porque a mãe deveria ficar em observação por 72 horas. Ela foi submetida a uma cirurgia para reconstruir o couro capilar depois de ter sida atingida por vários golpes de facão.

Os último sobreviventes da chacina são o menino Rian, de 6 anos, que continua internado no hospital de trauma. E o irmão de 11 ano que se escondeu embaixo da cama enquanto a família era esquartejada. Eles perderam o pai e cinco irmãos, além da mãe quando o vizinho, Carlos José dos Santos, de 25 anos, invadiu a casa e começou a atacar a família com um facão.

O acusado chegou a decepar a mão de uma criança e degolar as vítimas. A esposa dele, Edileuza Oliveira dos Santos, de 26 anos, foi presa como cúmplice do crime. Na delegacia, Carlos assumiu toda a responsabilidade pela chacina.

Os acusados estão detidos no presídio feminino do Bom Pastor e do Roger, em João Pessoa. No local, o clima é de tensão porque os detentos anunciaram que não aceitariam Carlos José. Ele está em uma cela isolada.

Casa dos assassinos parcialmente destruída:

A casa onde mora o casal acusado de cometer a chacina em que morreram cinco pessoas de uma só família – além de dois gêmeos no quarto mês de gestação -, nesta quinta-feira (9), em João Pessoa, foi parcialmente destruida por populares revoltados, por volta das 16h30m desta sexta-feira (10), no Bairro do Rangel.

A destruição, segundo apurou o Portal Correio, começou com dois homens desconhecidos, de aproximadamente 35 anos, que chegaram ao local numa moto.

Imediatamente após os dois homens darem início à destruição da casa, de padrões muito modestos, moradores do bairro resoltados com o assassinato de várias pessoas aderiram à destruição da casa de Edileuza Oliveira dos Santos, de 26 anos, e Carlos José dos Santos, de 25 anos, os dois acusados de terem cometido o crime.

A chacina aconteceu na madrugada de quinta-feira: quatro membros da mesma família, três crianças e um homem, foram assassinados a golpes de facão e faca no bairro do Rangel, Capital.


Criminalidade avança na Paraíba: polícia é recebida a bala

16 junho, 2009

Esta pequena notícia que está no portal wscom, abaixo, revela como está a situação da criminalidade na região metropolitana. Há tempos noticiamos neste blog como o consumo e venda de crack avança na Paraíba. Junto deste fato percebemos a organização dos criminosos, a qualificação de suas ações e as mortes por encomenda aumentando no noticiário.

Todas estas ações estão ligadas ao crack. Neste últimos dias estamos vendo ações que só seriam pensaveis no Rio de Janeiro. Familias sendo expulsas de casa; senhoras vendendo crack em pousadas; artistas sendo presos por uso de crack e roubo para alimentar o vício. Trata-se de um estado paralelo que está se organizando na região metropolitana e que a polícia tem que reagir. Não só ela, mas o governo como um todo, como afirmamos desde o início: quando mais cedo o combate melhor os resultados. Mas… essa n]ao virou ainda uma questão de “estado” na Paraíba.

Veja a notícia, ela em si só já é um marco desta ação maior da criminalidade:

No final da tarde desta terça-feira, 16, o Ciop (Centro Integrado de Operações Policiais) foi a Ilha do Bispo de que havia quatro homens armados circulando pelas ruas do bairro. Quando a polícia foi checar a denuncia já foi recebida a bala.

Na troca de tiros dois dos integrantes do bando foram baleados. Um deles morreu com um tiro na nuca.

O outro baleado conseguiu fugir junto com os outros integrantes. A polícia re4aliza buscas no local para tentar localizar o restante do bando.


Polícia atua no combate ao tráfico na PB

1 maio, 2009

As ações são louváveis e não podem parar, pelo contrário deve aumentar. VEjam esta clipagem sobre as últimas notícias relacionadas ao avanço do Crack em João Pessoa e Paraíba.

Policiais do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil (GOE) prenderam, na manhã desta quinta-feira (30) no bairro do José Américo, Girleide de Luna Freire, de 29 anos. Com ela foram apreendidos aproximadamente 100g de crack.

Segundo o delegado, Girleide já estava sendo investigada há alguns dias e foi pega em flagrante logo após tentar comercializar a droga em um cemitério do bairro. “Acreditamos, inclusive, que ela tenha envolvimento com a quadrilha da qual prendemos um homem e apreendemos dois menores esta semana”, explicou.

A droga foi encaminhada para o Instituto de Polícia Científica (IPC) e Girlene autuada em flagrante por tráfico de drogas.

Na última segunda-feira (27), uma operação realizada por policiais do GOE resultou na prisão do motorista de transporte alternativo Edson Santiago Pereira, 42 anos, e na apreensão de dois adolescentes, de 17 anos. Uma metralhadora também foi apreendida.

Uma ação da Polícia Militar prendeu um jovem de 23 anos acusado de ser o maior traficante de drogas da comunidade de Manguinhos, em Cabedelo. Segundo informações do Major Jerônimo, que coordenou a prisão, apesar da pouca idade, Wagner da Silva Miranda já tinha um carro, uma moto e construía uma “mansão que não é todo senador que tem” na praia de Camboinha. 

A prisão foi fruto de uma ação do Serviço de Inteligência da 4ª Companhia do 1º Batalhão da Polícia Militar. O major revelou que Wagner ocupou o espaço deixado pelo criminoso conhecido como Gaynão, que foi preso e posteriormente assassinado e que aterrorizava a região. Segundo o militar, os moradores de Camboinha também agradeceram muito a ação policial. 

“O povo já vinha reclamando dele há uns trinta dias. Diziam que ele era muito arrogante e que estava arregimentando os jovens e levando para o mau caminho”, contou o major Jerônimo. Além de Wagner, foram presos na ação também Fabíola Pereira da Silva, de 25 anos, e Vânia Maria da Silva, de 37.

Wagner, que é desempregado, afirmou que trabalhava fazendo transporte alternativo e que era daí que vinha seu dinheiro. No entanto, com ele foram apreendidos aproximadamente 200g de crack, R$ 5.283 em dinheiro, R$ 5.041 em cheques, mais R$ 539 reais em dinheiro com Vânia e uma balança de precisão.

Além disso, um videogame, dez cartões de recarga de telefonia móvel, oito aparelhos de telefones celular de três marcas e uma câmera digital também foram apreendidos com os acusados. A polícia acredita que estes objetos podem ter sido usados como forma de pagamento na compra de droga por viciados.

—-

A Polícia Federal prendeu três pessoas acusadas de tráfico de drogas na tarde desta quinta-feira, dia 17, em João Pessoa. Os policiais apreenderam dois quilos de cocaína em forma de “crack” e duas escopetas e uma metralhadora com a logomarca da Força Aérea Brasileira (FAB). A operação foi resultado de meses de invetigação.

Os acusados de tráfico e assaltos são: Ozivaldo do Nascimento Silva, 33 anos; Alexsandro Avelino da Silva, 31 anos; e Nivaldo do Santana de Figueiredo, 40 anos.

Primeiro, os policiais federais prenderam Ozivaldo e Alexsandro no bairro do Valentina Figueiredo por volta das 17 horas. Duas horas mais tarde foi prespo Nivaldo no conjunto Ernesto Geisel.

Além da droga e das armas, os federais apreenderam um veículo tipo Ipanema de placas MNG-3780 – João Pessoa/PB; um veículo tipo corsa de placas MNS-4225 – Santa Rita/PB; 170 (cento e setenta) cartuchos de calibres diversos como: 9mm, 40 e 380; 40 cartuchos calibre 12 e telefones celulares.

Os acusados foram autuados em flagrante e indiciados nos artigos 12 da Lei 6368/76 (tráfico de drogas); 16 da Lei 10.826 (ter em depósito e ocultar armas e munições de uso restrito) e art. 288 c/c o art. 29 do Código Penal Brasileiro (quadrilha ou bando). Eles foram levados à Superintendência da Polícia Federal em João Pessoa e deverão ser encaminhados ainda nesta quinta-feira para presídios da Capital.

 

Veja uma entrevista de Luiz Couto sobre o caso, ele já estava alerta desde 2003!Pelo ar, pela terra e pelo mar. Os narcotraficantes já dominam todos os caminhos da Paraíba e fazem da BR-230 a espinha dorsal da distribuição da droga para o Nordeste. Muito mais do que simples rota do tráfico, o Estado está se tornando também um dos grandes produtores de maconha, cocaína e crack. Os indícios da existência de laboratórios usados na produção de drogas foram revelados ao deputado federal Luiz Couto (PT) durante a CPI do Narcotráfico realizada na Assembléia Legislativa há cerca de dois anos.

 

 


Caso Manoel Bezerra: Preso terceiro suspeito.

8 fevereiro, 2009

parafina

A polícia civil junto com a federal prendeu um terceiro suspeito de ter participado do assassinato do advogado petista Manoel Bezerra de Mattos. Este seria um dos encapusados que atirou no advogado.

A polícia prendeu na noite desta sexta-feira (6) “Zé Parafina”, acusado de ser o autor dos disparos que matou no último dia 24 o advogado Manoel Mattos. A suspeita da polícia é de que ele e Sérgio (ou Célio) de Souza Azevedo sejam os dois encapuzados que invadiram a casa de praia onde a vítima estava com amigos e parentes festejando e o executaram com dois tiros. Depois fugiram sem levar nada.

 

O advogado do ex-agente conhecido por “José Parafina” pronunciou-se neste sábado sobre a prisão do seu cliente nesta sexta-feira. Segundo Adailton Paulino, ‘Parafina’ é inocente e não foi um dos encapuzados que executaram o advogado pernambucano Manoel Matos.

A Policia Federal deverá tomar depoimento do acusado de participação no crime mas como ainda não foi formalizada a transferência de comando do inquérito vão participar das indagações os delegados Walter Brandão, da Paraíba e o delegado federal Omar Mussi.